logo extrafarma

A versão deste navegador nao é compatível com este site.
Por gentileza, atualize seu navegador aqui
Ou baixe uma das opções abaixo:
Google Chrome , Firefox.

Assuntos

Raio-X dos Suplementos

imagem Raio-X dos Suplementos

Os padrões de beleza estão cada vez mais exigentes e ficar com o corpo em dia se tornou-se prioridade no cotidiano de muitas pessoas. Mas, por conta do estresse e cansaço, acabam precisando de uma mãozinha dos suplementos alimentares. Eles aceleram processos metabólicos, auxiliam no emagrecimento, na redução de medidas, no aumento de massa muscular e na recuperação da energia. A nutricionista Mirella Di Pardo Nicola Castro explica que as funções dos suplementos vão além. Os produtos fornecem doses de vitaminas, minerais e outros nutrientes para complementar uma dieta alimentar.

Suplemento de proteína e aminoácido

Indicado para esportistas, ele atua principalmente no ganho de massa muscular. Deve ser utilizado na medida certa, de acordo com o peso do atleta, pois, em excesso, pode causar uns quilinhos a mais. O suplemento de aminoácido auxilia a produzir energia e a “construir” aquela musculatura mais encorpada.“O músculo é formado por proteínas (actina e miosina) que, por sua vez, contêm aminoácidos essenciais para compor uma dieta para hipertrofia muscular”, explica a nutricionista Danielle Oliveira, da Hanna Fisio Clinic, de Fortaleza. Alguns alimentos já dispõem desses aminoácidos também, segundo Danielle. Entre eles estão: ovo, aspargo, ervilha, carne, laticínios, amendoim e cereais integrais.

Creatina

O nutriente é retirado de alimentos de origem animal, principalmente, da carne vermelha. Indicado para atletas que praticam exercícios de explosão, com curta duração, ele deixa o treino dinâmico, reduz a fadiga, aumenta a energia e a massa magra. “É melhor o consumo da creatina pós-treino e, em geral, indicamos o consumo de 5g para cada indivíduo”, diz Mirella.

L-Carnitina

 “A L-Carnitina já faz parte do mecanismo que transporta a gordura corporal para as mitocôndrias, que são componentes físicos existentes em nossas células, responsáveis por queimar a gordura corporal por meio de dietas e exercícios”, informa Mirella. Para ganho de massa muscular, a especialista sugere a dose da L-Carnitina de 500mg a 2g por dia (1 cápsula, 30 minutos antes do treino).

Termogênicos

Os produtos prometem acelerar o organismo e potencializar a perda de peso. Para essa função, a nutricionista Danielle recomenda o uso de chá de hibisco, chá verde, canela em pó, gengibre, pó de guaraná e pimenta. Ela sugere que o chá verde, por exemplo, seja tomado duas vezes ao dia: pela manhã e à tarde.

Barrinhas de cereais

Fáceis de carregar, elas se tornaram queridinhas de quem vive na correria, mas que quer se cuidar. “De diversos tipos, sabores e composição nutricional, as barrinhas melhoram o funcionamento do sistema digestivo e o trânsito intestinal, além de grandes aliadas para suprir ou minimizar a vontade de comer doces”, informa Mirella. Por possuírem carboidratos, a nutricionista indica o consumo de uma unidade antes do treino. No entanto, ela alerta que é preciso escolher a dedo o que será ingerido, pois algumas contêm muito açúcar e gorduras. Danielle cita que as barras de cereal de proteína com grãos integrais, como a linhaça, apresentam-se como ótima opção, pois são saudáveis. 

 Fique de olho

O uso indiscriminado de suplementos pode causar diversos problemas à saúde, afetando rins, fígado, pulmão e coração. “Os suplementos só devem ser administrados com orientação de um médico ou de um nutricionista. Eles têm um valor importante na busca pelos seus objetivos, mas, em excesso, podem minar os resultados e acabar com a saúde”, enfatiza Danielle.

nutrição com tecnologia

imagem nutrição com tecnologia

Com a ajuda de novas tecnologias, como os apps para smartphones, muita gente tem conquistado a boa forma física e mais saúde. Um desses recursos é o Dietbox, que promete uma interação mais rápida entre paciente e nutricionista. O especialista cadastra seu paciente no site, adicionando dados referentes ao tratamento. O paciente, por sua vez, baixa gratuitamente o aplicativo no seu smartphone, passando a receber diretamente, no celular, alertas nos horários corretos de cada refeição, cardápio do dia e lembretes relacionados à dieta. Disponível para Android e iOS.

benefícios dos nutracêuticos

Conheça a relação entre o consumo de alimentos saudáveis e a saúde do ser humano

imagem benefícios dos nutracêuticos

O crescente uso de alimentos apropriados para a saúde e seus benefícios terapêuticos comprovam uma nova tendência comportamental. No compasso dessa dinâmica, que busca contribuir com a saúde, longevidade e beleza, surgem os nutracêuticos. Para muitos especialistas, esse é um campo da ciência intrigante, aberto a novas pesquisas e que ainda tem muito a ser explorado sobre a capacidade desses compostos em tratar e prevenir doenças.

De acordo com o farmacêutico bioquímico, pós-graduado em Farmácia Magistral Luís Fernando Oliva Reino, o termo “nutracêutico” é originário da junção da palavra “fármaco”, com a palavra “nutriente”, ou seja, um alimento com a função de medicamento. “São alimentos ou suplementos alimentares, com doses nutricionais mais elevadas do que as encontradas normalmente em outros tipos de nutrição”, explica.

Apresentados sob formas farmacêuticas, sejam em cápsulas, comprimidos ou sachês, previnem e tratam doenças. Cada tipo é destinado ao auxílio de uma função em especial.

Aliados do emagrecimento

O cromo, por exemplo, participa ativamente do metabolismo de carboidratos, melhorando, assim, a tolerância à insulina. O cloreto de magnésio, ajuda a eliminar toxinas do corpo. É o que indica a cosmetóloga, graduada em Biomedicina, especialista em Emagrecimento Ana Carolina Candia Barra. Quando um paciente passa por uma dieta restrita, ela não pensa duas vezes em indicar nutracêuticos específicos. “Eles são altamente eficazes para repor deficiências metabólicas”, ressalta.

Amigos da beleza

“O consumo desses compostos é capaz de beneficiar a pele, os cabelos e as unhas, pois repõem os nutrientes necessários que faltam na alimentação, perdidos devido ao estresse, má alimentação e distúrbios fisiológicos”, completa o farmacêutico-bioquímico Oliva Reino. Os tratamentos com nutracêuticos podem ser preventivos ou, dependendo da exigência de reposição nutricional, entram para sanar carências.

Seu uso deve ser orientado por um especialista experiente. Segundo ele, os profissionais indicados para prescrevê-los são: médicos, nutricionistas e farmacêuticos. “Eles são relativamente seguros para o consumo diário, contudo, superdosagens, mesmo de minerais, podem ser fatais”, alerta. Por isso, o acompanhamento multidisciplinar é importante e fundamental, desde o diagnóstico até o término de seu uso.

Tratamento e prevenção

Para os especialistas, o consumo dos nutracêuticos torna-se indicado por disponibilizarem de uma alta concentração de nutrientes. A nutricionista, mestre em Ciências, Patrícia Cruz conta que eles estão sendo utilizados para tratamento e prevenção, principalmente, das doenças crônicas não transmissíveis como: cardiovasculares, obesidade ou dislipidemias (aumento dos lipídios, gordura, no sangue).

“Existem estudos, muito bem conduzidos e comprovados, que mostram que os ácidos graxos monoinsaturados, ômega 3 (presentes no peixes), auxiliam na redução do LDL (popularmente conhecido como mau colesterol)”, enfatiza. Segundo ela, os fitoesteróis (presentes em cereais, sementes, brócolis, cenoura e cereais), quando administrados em cápsulas, em doses elevadas, podem diminuir o colesterol total, sem alterar o HDL (colesterol bom). “Sua grande vantagem é que eles apresentam a forma concentrada dos compostos bioativos, presentes nos alimentos, assim, sua ação benéfica é alcançada.”

Quem pode consumi-los?

“Não existe restrição em relação à faixa etária para utilizar esses produtos, desde que a pessoa apresente deficiência de certa vitamina”, esclarece a farmacêutica, mestre em Tecnologia de Alimentos, com doutorado em Engenharia Biológica, pela Dalhousie University, no Canadá, Giovana Bonat Celli.

Corpo em equilíbrio

Saiba quais vitaminas e minerais não podem faltar no seu dia a dia

imagem Corpo em equilíbrio

Aliadas da boa saúde e do bom funcionamento do sistema imunológico, as vitaminas são essenciais em uma dieta. Elas possuem a função de regular e potencializar os diversos processos fisiológicos. No ser humano, a quantidade a ser ingerida pode variar conforme a idade, o sexo, o estado de saúde e o preparo físico do indivíduo. Segundo a nutricionista Tayana Aleixo, cada uma delas atua de uma forma específica, gerando benefícios diferentes para o corpo.

“Algumas vitaminas, mais especificamente a A, C, E e B9, possuem a função antioxidante, capazes de neutralizar os efeitos nocivos dos radicais livres gerados em casos em que o organismo é submetido a um estresse oxidativo (doenças, lesões e exercícios físicos), auxiliando a integridade das células e do organismo como um todo”, afirma.

Uma pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que 98% da população brasileira não ingere a quantidade ideal de vitaminas por dia e 92% não come frutas com frequência. A falta de vitaminas no organismo pode causar inúmeros males à saúde, deixando o corpo suscetível a infecções, alergias, dores musculares, hemorragias, problemas cardiovasculares, neurológicos, entre outras doenças.

Por isso, o uso dos suplementos vitamínicos é indicado para aumentar o consumo diário destas vitaminas. Se tomados corretamente, com orientação médica, eles podem aumentar a imunidade, prevenir manifestações de doenças e podem até retardar o envelhecimento.

Suplementos vitamínicos

A nutricionista explica que a maioria das pessoas é capaz de absorver a dosagem diária por meio dos alimentos, sem a necessidade de suplementação, porém, há situações em que o uso de um complexo vitamínico torna-se indispensável, como no caso dos portadores de deficiência nutricional – o organismo não absorve as vitaminas por causa de doenças ou dificuldades do próprio corpo – e para quem não se alimenta bem.

“Apenas com uma avaliação minuciosa e completa, a necessidade de suplementação será diagnosticada. Assim, os indivíduos estarão prevenindo a suplementação equivocada, reduzindo os riscos de hipervitaminose”, alerta.

Quais os tipos existentes?

Atualmente, existem três tipos de suplementos vitamínicos disponíveis no mercado, esclarece Tayana. “Os isolados, que são compostos por apenas uma vitamina; os associados entre si, que têm em sua composição duas ou mais vitaminas e os associados com minerais que, como o próprio nome já diz, são compostos tanto por vitaminas como por minerais. Esses suplementos podem ser comercializados em diversas formas: tablete, comprimido, drágea, cápsula, pós, pastilha, entre outros”, comenta.

A seguir, confira algumas das principais vitaminas, em quais alimentos podemos encontrá-las e o que a sua carência pode provocar:

  • Vitamina A: relacionada ao sistema imunológico, ao crescimento dos tecidos e à integridade da visão. Sua carência pode afetar a saúde ocular e causar infecções frequentes. Encontrada na abóbora, couve, cenoura, espinafre, batata-doce, manga e mostarda.
     
  • Vitaminas do complexo B: responsáveis pelo aumento da circulação e formação do sangue. Sua ausência pode provocar dores de cabeça, cansaço, náuseas e até mesmo depressão. Encontradas no arroz, gema de ovo, pera, legumes, peixes, fígado, aves, carne de porco, cereais, germe de trigo e nos grãos.
     
  • Vitamina C: possui função antioxidante, auxilia na absorção do ferro, favorece a cicatrização e é fundamental para o sistema imunológico. Sua ausência facilita o surgimento de resfriados, varizes e anemia. Presente no espinafre, agrião, tomate, alface, acerola, goiaba, caju, kiwi, abacaxi, laranja.
     
  • Vitamina D: fortalece o sistema imunológico, atua na formação óssea e no metabolismo do cálcio. Um dos problemas causados por sua ausência é a osteoporose. Encontrada em peixes, iogurte, cogumelos e gema de ovo.
     
  • Vitamina E: reduz o processo de envelhecimento das células e auxilia na proteção contra doenças crônicas. Sua ausência pode causar cansaço, queda de cabelo e taquicardia. Presente em oleaginosas, óleos vegetais, gema do ovo, folhas verde-escuras e gérmen de trigo.
     
  • Vitamina K: importante para o processo de coagulação e formação dos ossos. Um dos problemas de sua ausência é a má cicatrização. É encontrada na gema de ovo, cereais, centeio, soja, trigo, fígado, vegetais de folhas verde-escuras, brócolis, aspargo, repolho, couve-flor.
     
  • Cálcio: fundamental para os ossos, coagulação sanguínea, transmissão do impulso nervoso e contração muscular. A falta pode causar dentes frágeis, osteoporose, cãibras e hipertensão. Encontrado no leite e seus derivados, sardinha, verduras verde-escuras e no gergelim.
     
  • Ferro: primordial para transportar o oxigênio até as células e tecidos do corpo. Sua carência provoca cansaço excessivo, fadiga muscular e anemia. Presente em carnes, peixes, frango e peru, além de vegetais verde-escuros, lentilha e feijões.
     
  • Iodo: age nos mecanismos de produção, desenvolvimento neurológico, funcionamento das enzimas e formação dos hormônios da glândula tireoide. Encontrado no camarão, salmão, atum, ostras, arenque, algas, alho, aipo e sal iodado.
     
  • Zinco: essencial para imunizar o organismo contra diversas doenças. Ajuda na cicatrização e possui ação antioxidante. A falta pode causar baixa imunidade, cansaço e dificuldade de cicatrização. Presente no grão-de-bico, ovos, feijões, ervilhas, cereais integrais, nozes, ostras, peixes e carnes.

aliados da saúde

Conheça algumas vantagens da suplementação alimentar

imagem aliados da saúde

Que os brasileiros cuidam da estética e da saúde, todo mundo sabe! Não à toa, o País dispara no ranking de investimento nestes setores. A grande surpresa agora foi a comprovação de que o Brasil também é apaixonado pela suplementação alimentar. Uma pesquisa inédita comprovou que 54% dos brasileiros tomam algum tipo de suplemento alimentar. O índice é quase igual ao dos Estados Unidos, onde 68% das pessoas afirmam utilizá-los.

A pesquisa foi encomendada pela Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (Abiad), Associação Brasileira das Empresas do Setor Fitoterápico, Suplemento Alimentar e de Promoção da Saúde (Abifisa) e Associação Brasileira das Empresas de Produtos Nutricionais (Abenutri). O estudo revelou que entre os compostos mais consumidos estão: ácidos graxos (ômega 3),
aminoácidos (BCAA), minerais (cálcio), óleos (óleo de fígado de bacalhau), plantas (goji berry), proteínas (whey protein), vitaminas (multivitamínicos), entre outros.

De acordo com a nutricionista Priscilla Peixoto, os suplementos alimentares foram criados para eliminar as deficiências existentes na alimentação e também podem ser necessários, dependendo do caso, para melhorar o desempenho esportivo. Mas lembra de que “qualquer pessoa, antes de lançar mão da suplementação, deve procurar um nutricionista, que é o profissional capacitado para avaliar se há mesmo necessidade de consumo e quais produtos devem ser utilizados”.

Orientação é essencial

Camila Gomes, nutricionista clínica e esportiva, afirma que “suplementos alimentares, quando utilizados de forma correta, sob orientação de um profissional habilitado, não trazem malefícios à saúde”. No entanto, ela alerta para a falta de orientação adequada e uso exagerado do produto.

“Existem algumas reações adversas que são possíveis com o uso indevido da suplementação. As mais graves são disfunções hepáticas, renais e arritmia. Os danos mais conhecidos são suor excessivo, redução do apetite, aceleração dos batimentos cardíacos, aumento da pressão arterial, insônia e alteração na percepção da dor e do cansaço, que pode acarretar lesões.” 

Benefícios da suplementação

  • Melhorar o desempenho físico;
  • Suprir carências nutricionais;
  • Ajudar no ganho de massa muscular;
  • Auxiliar no controle do peso;
  • Estimular a renovação celular;
  • Atuar na fixação de cálcio nos ossos;
  • Promover a recuperação da musculatura.

Conheça os tipos mais consumidos

  • Ácidos graxos (ômega 3): nada mais é que um óleo extraído da gordura de peixes de águas profundas. Entre suas várias funções, destacam-se a de anti-inflamatório, produtor de elastina, e como protetor cardíaco e dos neurônios;
  • Aminoácidos (BCAA): são as menores partes das proteínas. Neste grupo estão os BCAA, ou seja, “aminoácidos de cadeia ramificada”, nome dado por sua estrutura química. Eles são utilizados na prevenção da fadiga neural e na recuperação da musculatura após os exercícios;
  • Minerais (cálcio): apresenta duas funções: construção das partes duras do corpo (ossos, dentes e unhas) e participa da contração muscular. Sua suplementação pode ter ação preventiva da osteoporose e na melhora de desempenho esportivo;
  • Óleos (óleo de fígado de bacalhau): são fontes ricas em ômega 3 e  também contêm vitaminas A e D, que atuam na fixação do cálcio nos ossos;
  • Plantas: a do tipo goji berry tem origem asiática, é rica em flavonoides, antioxidantes e vitaminas C e E em grande concentração. Entrou no mercado como um potente emagrecedor, por estimular as funções metabólicas.
  • Proteínas (whey protein): trata-se de um mix de proteínas extraídas do soro do leite, ricas em aminoácidos essenciais de fácil absorção. Podem auxiliar no controle do peso e apetite, estimular a renovação celular, melhorar a recuperação após a atividade física e otimizar o ganho de massa muscular;
  • Vitaminas (multivitamínicos): são encontradas em todos os alimentos de origem natural, principalmente nas frutas e vegetais, porém, devido à dificuldade de avaliar o quanto é ingerido por dia, os polivitamínicos são incorporados ao plano alimentar para garantir essas quantidades. Como algumas vitaminas podem interferir na absorção de outras, a indicação para consumir o polivitamínico é na forma “quelada”, processo industrial que blinda as vitaminas para que sejam todas aproveitadas.
Assuntos