logo extrafarma

A versão deste navegador nao é compatível com este site.
Por gentileza, atualize seu navegador aqui
Ou baixe uma das opções abaixo:
Google Chrome , Firefox.

Assuntos

a evolução dos bebês

Confira as principais mudanças no desenvolvimento infantil

imagem a evolução dos bebês

Desde o nascimento de um filho, uma das coisas que mais alegra o coração dos pais, e que os induz a um belo sorriso de orelha a orelha, é acompanhar o progresso dos pequenos, ainda que isso signifique uma simples reação aos sons ou o reconhecimento do próprio nome.

Todo dia é dia de um novo aprendizado para o bebê, e seus primeiros meses de vida são determinantes para toda a evolução que virá no futuro. O aprendizado é constante e, mensalmente, novas descobertas e habilidades tornam cada fase muito especial. E por mais que os pais se preparem durante a gestação para recebê-lo, sua chegada traz junto algumas inseguranças e dúvidas quanto ao seu desenvolvimento. Então,  para que a criança cresça de forma saudável é essencial o acompanhamento de um pediatra, e que os responsáveis transmitam conforto e segurança a ela.

Contenha a ansiedade

Quando meu bebê vai sorrir, firmar a cabeça, rolar, sentar, engatinhar, andar ou falar? Essas são perguntas que todos os pais se fazem diariamente, especialmente, os de primeira viagem.

E, embora seja natural que fiquem ansiosos e na expectativa sobre quando isto ou aquilo vai acontecer, é preciso ter em mente que o desenvolvimento motor e de linguagem dos bebês tem seu tempo máximo para ocorrer, mas pode variar de criança para criança, como explica o pediatra Eugênio Pacelli de Oliveira Melo.

“Nenhuma criança se desenvolve igual a outra. Toda criança é única e tem o seu período de adaptação, não devendo ser comparada às demais. Se uma criança anda, fala ou tem seus dentinhos desenvolvidos depois de outra, da mesma idade, não significa que ela tenha algum distúrbio. Esse ‘atraso’ faz parte do desenvolvimento normal dos pequenos”, relata.

O médico alerta que, somente nos casos em que há alguma evidência de atraso, é que os pais devem se preocupar e buscar orientação profissional. “Qualquer desvio nos marcos do desenvolvimento pode indicar a necessidade de procurar um pediatra”, explica.

Alguns casos necessitam de um atendimento especial para afastar as hipóteses de algumas doenças, como o hipotireoidismo congênito. Ele exemplifica: “Uma criança com 20 dias de vida que ainda não teve a queda do coto umbilical; ou que, aos quatro meses, ainda não eleva a cabeça; outra que, aos seis, não sustenta o tronco; ou aquela que, por volta dos oito meses, ainda não engatinha”.

Autonomia e independência

O primeiro ano de vida da criança é um período desafiador e de mudanças na rotina de toda a família. É a fase em que os bebês aprendem a comunicar suas necessidades de diversas formas, e os pais buscam aprender como atendê-las.

Em geral, nos primeiros meses, eles dormem a maior parte do tempo, só acordando para as mamadas que, normalmente, ocorrem a cada três ou quatro horas, mas, a partir de então, muita coisa vai mudando com o passar dos dias e, sempre, com muita novidade.

A seguir, confira dicas, preparadas por um especialista, sobre o desenvolvimento dos bebês mês a mês, até completarem o primeiro ano de vida:

1º mês – Olha e observa atentamente um rosto e responde à movimentação de um objeto acompanhando-o com o olhar. Também sustenta a cabeça por, no máximo, dois segundos.

2º mês – Sorri quando estimulado – é o chamado “sorriso social”. Também já demonstra preferência por uma pessoa ou brinquedo. Seu pescoço balança menos, quando sustentado na vertical. Também emite sons guturais (“gritinhos”).

3º mês – Controle cervical, ou seja, de bruços o bebê eleva a cabeça em até 90 graus, segurando-a. Nesse período ainda, uma mão brinca com a outra. E o pequeno já sorri com facilidade.

4º mês – Fortalece mais o controle cervical e começa a sentar com apoio. Já leva também os pés e as mãos à boca.

5º mês – Manipula objetos maiores. É a “fase oral” do desenvolvimento,  ou seja, leva tudo à boca. O ato de sentar é fortalecido, caindo menos e segurando mais o tronco.

6º mês – Agora, ele completa a fase do “virar”. Vira o corpo em todas as direções. Senta com apoio e sustenta o tronco. Tenta alcançar objetos próximos e vira em direção a uma pessoa quando chamado.

7º mês – Senta firme e equilibrado. De bruços, começa a levantar e sustentar o peso do tronco com os braços. Pode começar a engatinhar. E, do sexto para o sétimo mês, os primeiros dentes podem surgir.

8º mês – Apoia-se em grades. Fica em pé com apoio e já engatinha.

9º mês – Engatinha para frente e para trás. Consegue se sentar sozinho. Bate palminhas.

10º mês – Anda apoiando-se nos móveis. Colocado em pé, já consegue sentar-se sozinho. E reage à música balançando o corpo.

11º mês – Fica de pé sem apoio, e começa a executar movimentos finos. Já consegue passar um objeto de uma mão a outra.

12º mês – Fala “mama”, “papá”. Solta beijos, quando solicitados. E começa a dar os primeiros passos.

Assuntos