logo extrafarma

A versão deste navegador nao é compatível com este site.
Por gentileza, atualize seu navegador aqui
Ou baixe uma das opções abaixo:
Google Chrome , Firefox.

Assuntos

evite o ataque a geladeira

Suplemento nutricional uma fonte de energia saudável

imagem evite o ataque a geladeira

Desejos incontroláveis por alimentos calóricos como doces, massas e pães, ataques noturnos a geladeira, tudo isso faz parte de um transtorno alimentar que atua no centro de prazer do cérebro, porém deve ser evitado. Esses tipos de alimentos possuem alto índice glicêmico e elevam rapidamente a glicose no sangue.

Já existe no mercado suplementos com carboidratos de absorção lenta, que além de saciar o desejo por doces, também apresentam fontes de nutrientes importantes para a saúde. A união do útil ao agradável. 

Sentiu fome fora de hora? Aposte neste tipo de suplemento nutricional que é delicioso e ainda ajuda a controlar seu índice glicêmico, diminuindo os picos de glicose no sangue. São comercializados em pó ou pronto para beber, em diversos sabores.

Suplemento com carboidratos de absorção lenta, engorda ou emagrece?    

Pode emagrecer ou engordar, depende da forma que é consumido. Veja como funciona esta operação:

Os carboidratos são a principal fonte de energia do corpo e o nutriente que mais afeta a glicemia já que 100% dele é transformado em glicose. Entra de forma acelerada na corrente sanguínea elevando a glicemia entre 15 minutos a 2 horas. Se consumido em excesso são armazenados na forma de gordura.

Alguns carboidratos simples: pão branco, arroz, batata, suco de frutas, doces, sorvete, bolo, refrigerantes, biscoitos, milho, massa de farinha branca, açúcar, mel, glicose, sacarose, cana-de açúcar, etc. 

Diferente do carboidrato simples, este tipo de suplementação faz parte do grupo de carboidrato complexo que são digeridos mais lentamente por conter maior quantidade de fibras, vitaminas e minerais. Desta forma, além de fornecer a energia necessária, o aumento da glicemia ocorre de forma lenta e gradual, saciando a fome por mais tempo e evitando também o armazenamento de gordura. Além disso, ainda tem a vantagem de conter proteínas na sua composição.

Exemplos de carboidratos complexos: arroz integral, pão integral, batata-doce, mandioca, abóbora, inhame, aveia, alface, tomate, etc.

Desta forma, como qualquer outro alimento, o suplemento só irá engordar caso seja consumido em excesso. Mas se você imaginar que ao invés do suplemento, seu desejo te levasse a consumir um alimento mais calórico, você engordaria em dobro.

Portanto, este tipo de suplemento pode te ajudar a emagrecer pois evita o pico de glicose no sangue e consequentemente o armazenamento de gorduras.

Por isso, evite ser usado como substituto de alimentos calóricos, mas jamais como produto de emagrecimento.

Posso substituir uma refeição pelo suplemento?

Não deve ser substituído pela refeição sem o aconselhamento médico ou de um nutricionista. Esta é uma opção saudável e de baixa caloria para o controle da glicemia no período entre as refeições, e um substituto de guloseimas como auxílio da compulsão alimentar. É indicado como parte do plano alimentar do paciente com diabetes ou qualquer pessoa que deseja uma fonte de energia saudável.

Órgão que se regenera

imagem Órgão que se regenera

Considerado um dos maiores órgãos do corpo humano,o fígado está localizado na região superior da cavidade abdominal, abaixo do diafragma e do lado direito. O órgão de coloração marrom avermelhada pesa, em média, 1,5kg. Uma das curiosidades desse órgão é a sua grande capacidade de regeneração: se retirarmos metade do fígado, em alguns meses, o órgão voltará ao seu tamanho normal. Isso quer dizer que podemos doar uma parte, já que ele se regenera posteriormente, tanto no doador, quanto no receptor.

Mau hálito em crianças

imagem Mau hálito em crianças

Um estudo publicado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) associou o mau hálito infantil à respiração bucal. A pesquisa acompanhou 55 crianças entre 3 e 14 anos, divididas em dois grupos: quem respirava pela boca e quem tinha respiração nasal. Intitulado “Association Between Halitosis and Mouth Breathing in Children” (Associação entre Halitoses e Respiração Bucal em Crianças), o estudo constatou que 40% das crianças possuíam padrão de respirador bucal, e 63% delas apresentaram forte halitose, apontando uma relação significativa entre a respiração bucal e o mau hálito. O autor da pesquisa é o cirurgião-dentista Giancarlo Zanoli Trentim. A maior porcentagem dos casos de halitose infantil é notada pela manhã em razão da boca seca, causada pela respiração bucal durante o sono. Um dos indícios é que a evaporação da água na saliva explica a halitose.


Publicado em 07/04/2017 por extrafarma

Raio-X dos Suplementos

imagem Raio-X dos Suplementos

Os padrões de beleza estão cada vez mais exigentes e ficar com o corpo em dia se tornou-se prioridade no cotidiano de muitas pessoas. Mas, por conta do estresse e cansaço, acabam precisando de uma mãozinha dos suplementos alimentares. Eles aceleram processos metabólicos, auxiliam no emagrecimento, na redução de medidas, no aumento de massa muscular e na recuperação da energia. A nutricionista Mirella Di Pardo Nicola Castro explica que as funções dos suplementos vão além. Os produtos fornecem doses de vitaminas, minerais e outros nutrientes para complementar uma dieta alimentar.

Suplemento de proteína e aminoácido

Indicado para esportistas, ele atua principalmente no ganho de massa muscular. Deve ser utilizado na medida certa, de acordo com o peso do atleta, pois, em excesso, pode causar uns quilinhos a mais. O suplemento de aminoácido auxilia a produzir energia e a “construir” aquela musculatura mais encorpada.“O músculo é formado por proteínas (actina e miosina) que, por sua vez, contêm aminoácidos essenciais para compor uma dieta para hipertrofia muscular”, explica a nutricionista Danielle Oliveira, da Hanna Fisio Clinic, de Fortaleza. Alguns alimentos já dispõem desses aminoácidos também, segundo Danielle. Entre eles estão: ovo, aspargo, ervilha, carne, laticínios, amendoim e cereais integrais.

Creatina

O nutriente é retirado de alimentos de origem animal, principalmente, da carne vermelha. Indicado para atletas que praticam exercícios de explosão, com curta duração, ele deixa o treino dinâmico, reduz a fadiga, aumenta a energia e a massa magra. “É melhor o consumo da creatina pós-treino e, em geral, indicamos o consumo de 5g para cada indivíduo”, diz Mirella.

L-Carnitina

 “A L-Carnitina já faz parte do mecanismo que transporta a gordura corporal para as mitocôndrias, que são componentes físicos existentes em nossas células, responsáveis por queimar a gordura corporal por meio de dietas e exercícios”, informa Mirella. Para ganho de massa muscular, a especialista sugere a dose da L-Carnitina de 500mg a 2g por dia (1 cápsula, 30 minutos antes do treino).

Termogênicos

Os produtos prometem acelerar o organismo e potencializar a perda de peso. Para essa função, a nutricionista Danielle recomenda o uso de chá de hibisco, chá verde, canela em pó, gengibre, pó de guaraná e pimenta. Ela sugere que o chá verde, por exemplo, seja tomado duas vezes ao dia: pela manhã e à tarde.

Barrinhas de cereais

Fáceis de carregar, elas se tornaram queridinhas de quem vive na correria, mas que quer se cuidar. “De diversos tipos, sabores e composição nutricional, as barrinhas melhoram o funcionamento do sistema digestivo e o trânsito intestinal, além de grandes aliadas para suprir ou minimizar a vontade de comer doces”, informa Mirella. Por possuírem carboidratos, a nutricionista indica o consumo de uma unidade antes do treino. No entanto, ela alerta que é preciso escolher a dedo o que será ingerido, pois algumas contêm muito açúcar e gorduras. Danielle cita que as barras de cereal de proteína com grãos integrais, como a linhaça, apresentam-se como ótima opção, pois são saudáveis. 

 Fique de olho

O uso indiscriminado de suplementos pode causar diversos problemas à saúde, afetando rins, fígado, pulmão e coração. “Os suplementos só devem ser administrados com orientação de um médico ou de um nutricionista. Eles têm um valor importante na busca pelos seus objetivos, mas, em excesso, podem minar os resultados e acabar com a saúde”, enfatiza Danielle.

nutrição com tecnologia

imagem nutrição com tecnologia

Com a ajuda de novas tecnologias, como os apps para smartphones, muita gente tem conquistado a boa forma física e mais saúde. Um desses recursos é o Dietbox, que promete uma interação mais rápida entre paciente e nutricionista. O especialista cadastra seu paciente no site, adicionando dados referentes ao tratamento. O paciente, por sua vez, baixa gratuitamente o aplicativo no seu smartphone, passando a receber diretamente, no celular, alertas nos horários corretos de cada refeição, cardápio do dia e lembretes relacionados à dieta. Disponível para Android e iOS.

já bebeu água hoje?

imagem já bebeu água hoje?

Você se lembra de beber líquido no dia a dia? A ingestão frequente de água traz diversos benefícios à saúde: acelera o metabolismo; elimina toxinas; diminui, em geral, o ciclo de vida dos vírus em seu corpo e mantém os tecidos e células mais saudáveis. O aplicativo Water drink reminder (que, em português, significa Lembrete de beber água) calcula a quantidade de ingestão de volume d`água de forma personalizada. E, ainda, te avisa em vários momentos, durante o dia. Mas, para ter esse controle correto, o usuário precisa incluir, no app, cada copo de água ingerido ao longo do dia. Assim, ele avisa se você está acima ou abaixo do seu objetivo. Após um tempo, ele gera gráficos, refletindo seus hábitos de consumo. Disponível para iOS e Android, gratuitamente.

dor de ouvido

Evite a dor de ouvido

imagem dor de ouvido

A dor de ouvido costuma ser muito frequente em crianças, constituindo uma das maiores causas de consultas a pediatras e otorrinos. Nesta faixa etária, a tuba auditiva (que liga a orelha à garganta) é mais curta e horizontal do que a do adulto, o que contribui para o surgimento da otite. O que pouca gente sabe é que o simples ato de dar mamadeira ao bebê merece atenção especial. Na posição deitada, há uma grande tendência de introdução de líquidos para dentro da orelha, o que predispõe a inflamação caso o hábito não seja corrigido. Para evitar a otite, recline sempre à cabeça da criança para alimentá-la.

A dor de ouvido pode surgir também, junto ou imediatamente, após a dor de garganta, de dente, complicação de sinusite, ou uma infecção respiratória, como gripe ou resfriado, por exemplo. É provocada, nesse caso, pela congestão nasal que entope a tuba auditiva e leva ao acúmulo de secreções no ouvido. Essa secreção infecciona e inicia o processo da otite. Nos adultos, esse mecanismo também pode ocorrer, mas com menor frequência. Manter o nariz limpo é uma das providências contra a dor de ouvido.

Outra causa frequente é excesso de exposição à água. Com a prática de natação, a cera que protege o canal auditivo externo é eliminada, favorecendo o desenvolvimento de fungos e bactérias, micro-organismos desencadeadores da otite. Apesar de dores intensas, esses quadros cedem rapidamente com um tratamento clínico bem conduzido. Como medida preventiva, aconselha-se a utilização de tampões protetores que evita a penetração de grande quantidade de água. Pessoas alérgicas devem optar por tampões feitos à base de silicone incolor, pois o contato de corante ou acrílico com a pele do canal auditivo pode ocasionar reações alérgicas e piorar a situação, ao invés de proteger.

Da mesma forma, o uso abusivo de cotonetes pode comprometer a audição. A cera exerce atividade protetora importante para a pele do canal auditivo e, normalmente, os pelos presentes na parte externa do ouvido encarregam-se de eliminar o excesso. A limpeza deve ser feita com cuidado para evitar que ocorra o deslocamento de secreções para dentro do canal. Esse deslocamento, com frequência, causa compactação da cera e a formação de rolhas ceruminosas no interior do ouvido que provoca uma desagradável sensação de ouvido entupido, acompanhada por perda de audição e zumbido, situação que obriga a pessoa a procurar um especialista para desobstrução e limpeza adequada.

Em voos, a dor de ouvido é devido a brusca variação da pressão atmosférica. Para que a audição seja normal é necessário, que a pressão dentro do ouvido seja a mesma da pressão atmosférica. É assim que a membrana do tímpano consegue manter-se na posição normal e com a máxima capacidade para absorver o som do meio ambiente.

Quando a tuba auditiva não consegue equilibrar rapidamente as pressões, ocorre um deslocamento da membrana timpânica que pode provocar dor, diminuição da audição e sensação de ouvido entupido, especialmente se o indivíduo estiver resfriado e com o nariz congestionado. Pessoas com aumento da adenoide e portadores de sinusite têm chances ainda maiores de apresentarem distúrbios desse tipo durante os voos.

Para manter a pressão do ouvido e aliviar o mal-estar, algumas manobras podem ser colocadas em prática, como mascar chicletes durante a subida e descida do avião, engolir líquidos com o nariz tampado e limpar bem o nariz. A sensação de ouvido entupido, sem a presença de dor, costuma reverter em alguns minutos após a estabilização do avião no ar, ou minutos após o seu pouso. Caso não haja retorno à normalidade após 1 ou 2 horas, deve-se procurar orientação médica.

Outro fator que provoca dor de ouvido é a nevralgia desencadeada pela exposição ao frio. A nevralgia é consequência de uma disfunção do sistema sensitivo do ouvido, que provoca a intensificação da sensação pelo frio local, e o sistema nervoso central interpreta como sensação dolorosa. Apesar do incômodo da dor, esta situação é de ocorrência comum e não reflete gravidade. Também não tem relação com processos inflamatórios, infecciosos ou tumorais, ocorrendo apenas por uma perturbação do controle das informações dos sensores periféricos da dor.

Nesses casos, deve-se proteger as orelhas do frio com uso de gorro ou xale, podendo-se utilizar analgésicos via oral e calor seco local, como flanela aquecida no ferro elétrico ou bolsa de água quente envolta em toalha para o controle da dor.

Menos frequentemente, a dor de ouvido pode ser causada por distúrbios da articulação entre a mandíbula e o crânio (articulação temporomandibular ou ATM). Para os distúrbios da ATM é recomendado tratamento específico com odontologista, aliado ao emprego de analgésicos para alívio da dor.

COMO TRATAR A DOR DE OUVIDO

As otites são tratadas de modo específico, dependendo do agente causal (bactérias, fungos, vírus), com antibióticos, antifúngicos ou antiviricidas respectivamente, ou somente por via local dependendo da extensão de cada caso. A dor deve ser controlada com analgésicos via oral e, localmente, é recomendável apenas calor seco — bolsa de água quente envolta em pano seco e limpo ou pano seco aquecido no ferro de passar roupa. As gotas para ouvido que contêm anestésicos devem ser utilizadas apenas sob orientação médica. O tratamento é essencial já que existe o risco de inflamação com comprometimento progressivo da audição. Dependendo do tipo de otite, em até 80% dos casos, pode melhorar espontaneamente. Para o diagnóstico correto, consulte o médico. A prevenção é o seu maior aliado. Sua audição agradece.

Xô gripes e resfriados!

Dicas simples para evitar o contágio e possíveis complicações

imagem Xô gripes e resfriados!

Imagine a seguinte situação: você está à espera daquela festa especial e, exatamente no dia, acorda constipado, com dor no corpo, coriza e sentindo-se febril. O fato é que ninguém está imune à gripe e ao resfriado. E, mesmo com medidas preventivas, como a ingestão constante de vitamina C, vez ou outra surgem esses sintomas. Nessas horas, a maioria recorre a um antigripal ou a medidas caseiras, como chás e até mesmo escalda-pés.

Compostos por diversas propriedades em ação conjunta, os antigripais são formulados à base de analgésicos, antitérmicos, anti-inflamatórios, descongestionantes nasais, antialérgicos e antitússicos, entre outros. Agem no organismo combatendo os sintomas e ajudam a amenizar o quadro clínico. Porém, antes de sair correndo para comprar um ou tomar aquele que o colega do trabalho indicou, é preciso ficar atento se os sintomas apresentados referem-se a um resfriado comum ou a uma gripe, principalmente, se a intenção é se automedicar, para não agravar o problema ao invés de resolver. Vale lembrar que em ambos os casos, apenas o médico pode definir o tratamento adequado para cada pessoa. Conheça as diferenças!

Resfriado ou gripe?

O resfriado acomete as vias respiratórias superiores e é uma infecção viral, com mais de 200 tipos diferentes de vírus, sendo os mais comuns facilmente transmissíveis. O modo de contágio acontece pelo contato físico ou pelo ar, quando o vírus entra no organismo pela boca, nariz e olhos. Geralmente, os sintomas surgem cerca de dois ou três dias após o contato com o vírus, ocasionando dor no corpo, cansaço, espirros, coriza, dor ou irritabilidade na garganta, tosse, lacrimejamento, podendo ocorrer ligeira febre baixa. O diagnóstico é feito de acordo com os sintomas e o tratamento ocorre apenas para aliviá-los, normalmente com o uso de antitérmicos e analgésicos, como a dipirona e o paracetamol.

Na gripe, o modo de transmissão apresenta-se praticamente o mesmo do resfriado. Porém, a gripe mostra-se bem mais grave, causada pelo vírus influenza. Assim como o resfriado, pode surgir em qualquer época do ano, mas costuma ocorrer com mais frequência durante o inverno ou em períodos mais frios, sendo denominada gripe sazonal. Na maioria das vezes, a causa das infecções ocorre pelo contágio com o vírus da influenza tipos A e B. Costuma manifestar os sintomas entre três e quatro dias após o contágio com o vírus e pode inicialmente provocar febre alta, acima de 38 °C, acompanhada de fraqueza, mal-estar, dores de cabeça e no corpo, podendo causar ainda coriza, dor de garganta e tosse, primeiramente seca.

O diagnóstico, basicamente, é clínico, porém, em casos específicos, torna-se necessária a confirmação por meio de exames laboratoriais. Na maioria dos casos, a medicação assemelha-se ao tratamento do resfriado, à base de antitérmicos, analgésicos, hidratação e um bom repouso. Em casos distintos, podem ser prescritos medicamentos antivirais que combatem exclusivamente o vírus, com eficácia garantida somente se forem administrados dentro das primeiras 48 horas após o aparecimento dos sintomas. Há, no entanto, situações ainda mais graves decorrentes da gripe, como a pneumonia viral ou bacteriana, dentre outras complicações.

Prevenir para não remediar

Existem medidas bem simples que ajudam a prevenir o contágio de gripes e resfriados. De acordo com o infectologista Irineu Maia, a higiene das mãos, no dia a dia, torna-se fundamental. “Lavar as mãos com sabão ou sabonete e depois passar álcool são importantes medidas para evitar o contágio com o vírus, pois, no caso das doenças respiratórias virais, a mão é o mais importante meio de contaminação do que a própria via respiratória”, alerta.

Confira as principais recomendações do especialista:

• Limite seu contato com pessoas que apresentem os sintomas e evite locais fechados com grandes aglomerações.

• Ao assoar o nariz, prefira lenços de papel descartáveis e cubra o nariz e a boca quando for espirrar ou tossir.

• Lave as mãos frequentemente com água e sabão e utilize álcool gel.

• Evite esfregar o nariz e depois levar a mão à boca ou aos olhos.

• Prefira alimentos ricos em vitamina C e beba bastante líquido.

• Não compartilhe objetos de uso pessoal.

• Use soro fisiológico para lavar e hidratar as narinas.

No caso da gripe, há ainda outro método de prevenção: as vacinas, que devem ser tomadas anualmente. Elas evitam a contaminação, porém, em alguns casos, o vírus pode manifestar-se. Contudo, a reação ocorre com menos intensidade e menor risco de complicações.

A importância do repouso

Enquanto o corpo se encarrega de eliminar a infecção, além do tratamento com medicações, o repouso mostra-se essencial para a recuperação do indivíduo, permitindo que o organismo use toda a sua energia para combater o vírus. O médico explica que realizar esforços durante a manifestação da doença pode debilitar as defesas do organismo e facilitar possíveis complicações. “O repouso torna-se fundamental na recuperação de todo quadro infeccioso, principalmente, em se tratando da gripe. O recomendável é repouso, uso de medicação sintomática e hidratação”, orienta Maia.

dor de garganta: infecção, irritação ou lesão?

Conheça as causas, sintomas e tratamentos

imagem dor de garganta: infecção, irritação ou lesão?

Causas da dor de garganta

A dor de garganta é uma queixa que costuma ser frequente e pode ser provocada tanto por infecção, como irritação ou lesão. Por isso, nem sempre a dor de garganta é consequência de amigdalite, faringite ou laringite bacteriana. Aliás, são mais frequentes as infecções de origem viral, ligadas aos resfriados ou gripes, do que as causadas por bactérias.

Entre as causas não infecciosas, a dor de garganta pode ser de origem alérgica e é comum em pessoas com rinossinusite crônica ou sensíveis a determinados alimentos. O tabagismo, exposição a grandes quantidades de pó, secura excessiva do ar entre outras situações semelhantes, da mesma forma, podem produzir irritação na garganta.

Também pode estar relacionada a lesões, como no caso de pacientes com refluxo gastroesofágico, por exemplo. Nesta situação, o ácido do estômago retorna para o esôfago, que sobe pra faringe e provoca uma lesão que dói e pode ser confundida com dor de garganta viral ou bacteriana. 

Outras causas que merecem atenção e tratamento diferenciado

Na mononucleose infecciosa (conhecida popularmente como doença do beijo), a dor de garganta é intensa, dura semanas, e apesar do aumento dos gânglios do pescoço sugerir uma infecção bacteriana, é uma doença causada pelo vírus Epstein-Barr. Diferente de dores de garganta causada por vírus, neste caso específico é crucial o diagnóstico correto, já que pacientes com mononucleose não podem ser tratados erroneamente com antibióticos (principalmente amoxicilina), sob o risco de desenvolver graves lesões na pele (rash cutâneo). O tratamento para esta doença deve ser feito com anti-inflamatório

 A inflamação da tireoide (tireoidite) também é causada por vírus e provoca além da “dor de garganta”, muita dificuldade para engolir. Entretanto, na verdade, o que dói é a glândula da tireoide e o paciente acaba se equivocando, achando que a dor é na garganta. Portanto, sempre que a garganta doer e essa condição persistir por mais de uma semana, é importantíssimo o diagnóstico correto.

Jamais subestime a dor na garganta. Só o seu médico poderá diferenciar entre infecção viral, bacteriana ou de causas distintas, e indicar o tratamento apropriado ao seu caso.

Dor de garganta em bebês e crianças

As infecções causadas por vírus (gripe, resfriado, amigdalites virais) são mais frequentes antes dos 2 anos de idade e ocorrem por meio do contato com pessoas doentes, já que esses vírus são altamente contagiosos.

A prevenção é de extrema importância. Pessoas doentes devem evitar o contato com bebês e, se necessário mexer na criança, é fundamental o uso de máscaras e a lavagem rigorosas das mãos.

Bebês amamentados no peito são mais protegidos contra as infecções, graças aos anticorpos contidos no leite materno.

Entre 2 e 7 anos, as amigdalites provocadas por bactérias passam a ser mais frequentes já que neste período, o tecido da amígdala se desenvolve muito, o que predispõem as infecções. 

Sintomas e tratamentos de infecções por vírus

O quadro é mais ameno, caracterizado por febre de menor intensidade, embora, às vezes, acompanhado de uma dor muito incômoda. Normalmente, é um processo autolimitado, dura entre 5 e 8 dias e desaparece sem a necessidade de medicamentos específicos. No máximo indica-se analgésico e pastilhas para alívio da dor.

Sintomas e tratamentos de infecções por bactérias

Nesta situação a febre é alta e é necessário o uso de antibiótico para combater as bactérias, assim como evitar complicações por abscessos (coleção de pus). O seu médico irá prescrever o tipo mais adequado para o seu caso, indicando a dosagem. Normalmente, após 48 horas da administração do antibiótico a febre cede e você já se sente melhor. É desaconselhável a automedicação ou o uso de um remédio que foi bom para alguma pessoa conhecida. Tomar antibióticos indiscriminadamente pode torná-los sem ação diante de uma infecção mais severa.

Atenção: antibiótico não trata a dor

Da mesma forma que o antibiótico não surte efeito para as infecções virais (vírus é vírus e bactéria é bactéria), ele também não alivia a dor no início da infecção. O antibiótico apenas mata as bactérias. Para a dor é necessário fazer uso de analgésicos.

Dor de garganta acompanhada de tosse

Quando a dor de garganta estiver associada a um quadro de tosse, providências naturais podem ser adotadas como, por exemplo, o aquecimento do pescoço ou o resfriamento da garganta com pastilhas de menta. Isso promove uma diminuição relativa do reflexo da tosse e proporcionam uma sensação agradável que ameniza a irritação da garganta. Porém, é importante esclarecer que apesar da sensação momentânea de alívio, essas medidas não exercem ação efetiva sobre os mecanismos que desencadearam a tosse ou a irritação local.

O mel, isoladamente ou em associação com própolis, também pode ser empregado para alívio da irritação de garganta ou tosse. Mas, até onde sabemos, ele também não age diretamente sobre a inflamação ou infecção. Ocorre apenas uma sensação de desopressão pela lubrificação que proporciona à mucosa da garganta. Quando ingerido junto com bebidas quentes, o calor e a lubrificação são mais eficazes. Entretanto, o mel precisa ser de boa procedência e poderá, nesse caso, ser empregado puro (1 a 2 colheres de sobremesa) ou dissolvido em chá ou leite quente.

Quanto aos gargarejos, apesar de raramente penetrarem na garganta, ajudam a eliminar o muco. O ideal é a aplicação direta de antissépticos com pulverizador que produzem resultados mais positivos para a dor de garganta. Alguns, inclusive, contêm um pouco de anestésico. Dica: use um abaixador de língua para que o antisséptico consiga realmente atingir a garganta.

Apenas não esqueça que essas ações são paliativas e tratam apenas os sintomas do incômodo. Para a cura é necessário o tratamento indicado pelo médico.

cuide bem da flora intestinal

dela depende a digestão dos alimentos e o equilíbrio do organismo

imagem cuide bem da flora intestinal

Uma vida saudável depende do bom funcionamento do intestino, e isso está ligado ao equilíbrio da flora intestinal. Também chamada de microbiota intestinal, a flora intestinal consiste numa associação de milhares de “bactérias do bem”, que habitam o intestino, tendo várias funções, como a digestão dos alimentos, além de impedir que organismos nocivos se desenvolvam, segundo o proctologista Roberto Luiz Kaiser Júnior. No dia a dia, o médico orienta seguir uma alimentação saudável e, ainda, suplementar a dieta com probióticos e prebióticos, que podem garantir o equilíbrio ao intestino humano, desempenhando papel fundamental na nutrição.

Os probióticos apresentam-se como bactérias vivas que produzem efeitos benéficos, presentes em iogurtes, produtos lácteos fermentados e suplementos alimentares. Já os prebióticos auxiliam as bactérias do próprio organismo, e são encontrados em alimentos como cebola, alho, chicória, cereais, beterraba, banana e tomate.

Segundo o proctologista, quando o intestino funciona perfeitamente e, de repente, fica constipado, é um sinal de alerta para procurar auxílio médico. Evacuar menos de três vezes por semana ou com fezes bem endurecidas também pode ser considerado constipação intestinal.

Kaiser Júnior relata que há vários tipos de medicamentos para tratar o problema. Existem aqueles que funcionam irritando a mucosa do intestino e, consequentemente, secretando água para hidratar as fezes. Há os que possuem efeito osmótico, trazendo água para dentro do intestino. E os lubrificantes do bolo fecal, que promovem o amolecimento das fezes.

“No dia a dia, a melhor opção sempre são as fibras encontradas nos alimentos, que agem deixando as fezes mais moles após se misturarem com a água ingerida via oral.” É possível consumir essas fibras pela vida inteira, sem causar danos ao organismo.

Dicas de alimentos:

• Verduras cruas, principalmente as verdes, por conter grande quantidade de fibras

• Inclua aveia nas refeições

• Se possível, consuma diariamente sementes como linhaça e chia e evite o sene

• Prefira as frutas laxativas como ameixa, laranja com bagaço, mamão, abacate e uva

• Evite alimentos que causem a prisão de ventre, como maçã, banana-maçã e caju

• Consuma frutas secas como uvas passas, damasco, ameixa seca e tâmara

• Prefira os alimentos integrais. Evite pão branco e arroz

• Beba ao menos 2 litros de água por dia. A água liga-se à fibra e hidrata as fezes

• Consumir fibra e não beber água pode piorar o funcionamento intestinal, além disso, a água é ótima para a saúde e equilíbrio de todos os outros órgãos

Assuntos