logo extrafarma

A versão deste navegador nao é compatível com este site.
Por gentileza, atualize seu navegador aqui
Ou baixe uma das opções abaixo:
Google Chrome , Firefox.

Assuntos

DST

Sintomas e consequências: as principais doenças sexualmente transmissíveis

imagem DST

Independente da relação ser hetero ou homossexual, qualquer pessoa pode transmitir ou ser contaminada por uma doença sexualmente transmissível (DST). Elas se propagam pelo ato sexual sem o uso do preservativo, e algumas delas, inclusive, podem ser contraídas apenas pelo sexo oral com parceiro infectado.

Muitas, caso tratadas em tempo hábil, não trazem consequências. Outras, podem se tornar crônicas e te acompanhar pelo resto da vida, com complicações graves, podendo levar até mesmo à morte. Por isso, todo cuidado é pouco! Proteja-se com preservativos e fique atento aos sintomas. O ginecologista Prof. Dr. Thomaz Gollop cita as consequências nas mulheres e o urologista Prof. Dr. Sami Arap, nos homens. Hoje em dia, as mais importantes são:

HIV/AIDS
HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. Causador da AIDS, ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. Ter o HIV não é a mesma coisa que ter a AIDS. Existem muitos soropositivos (HIV) que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença. Mesmo assim, podem transmitir o vírus a outros pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação. Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.

Os agentes da transmissão do vírus HIV são o esperma, a secreção vaginal, o sangue e o líquor (líquido da medula). No suor, saliva, lágrima e urina o vírus está presente em concentrações insuficientes para contaminação e, fora do corpo, fica inativo muito rapidamente. O beijo na boca pode transmitir o vírus da AIDS apenas se existir alguma lesão com participação de sangue.

Quanto ao esperma, é importante saber, que ele é tão contagiante quanto o sangue e transmite o vírus até mesmo sem nenhum ferimento. Portanto, o sexo oral deve ser feito com preservativo. O risco se eleva drasticamente quando existe alguma lesão ou ferimento. Já a relação anal transmite seis vezes mais que a relação vaginal, pois a mucosa do ânus tem menos elementos para se defender, além do trauma mecânico ser maior.

Sintomas: na fase inicial, quando a pessoa é apenas portadora do vírus, não exibe manifestações físicas que permitam detectar a doença. Quando surgem os primeiros sintomas, são muito parecidos com os de uma gripe, como febre e mal-estar e por isso, a maioria dos casos passa desapercebido. As manifestações seguintes são: emagrecimento, sudorese noturna, febre, diarreia e sarcoma de Kaposi (câncer com presença de manchas ou nódulos roxo, vermelho ou marrom na pele).

Consequências: admite tratamento e, embora não tenha cura definitiva, possibilita uma vida normal com as devidas precauções. Potencialmente leva ao óbito.

 

CLAMÍDIA

Sintomas: Muitas vezes, sem sintoma algum, sendo diagnosticada apenas em exames laboratoriais. Em alguns casos ocorre corrimento frequente, perda de sangue nos intervalos do período menstrual e dor no baixo ventre. No homem, 70% deles apresentam secreção uretral (corrimento esbranquiçado) e ardor ao urinar. Os outros 30% dos casos, não apresentam sintomas. 

Consequências:  anexite (processo inflamatório nos ligamentos que sustentam o útero na bacia, podendo atingir as trompas e os ovários). Gravidez nas trompas e, em estágio mais avançado, esterilidade por inflamação das trompas. Gestantes podem transmitir para o bebê durante o parto causando cegueira. No homem, leva a infertilidade.

 

GONORREIA
Sintomas
: pode passar desapercebida ou manifestar sintomas como micção frequente, difícil ou dolorosa, uretrite (inflamação da uretra) e às vezes, corrimento. No homem apresenta secreção uretral (amarelado) e ardor ao urinar.

Consequências: por ser uma doença que costuma passar desapercebida, o agente infeccioso pode ficar alojado durante longos períodos no trato urogenital da mulher causando além de processos  inflamatórios, a infertilidade . No homem: estreitamento uretral, prostatite (inflamação da próstata) e infertilidade.

 

HERPES SIMPLES (TIPO 1 E 2)
Sintomas: é extremamente dolorido e normalmente se manifesta por múltiplas bolhas na região genital, ânus (herpes tipo 2) ou boca (herpes tipo 1). Na existência das bolhas é o período mais crítico e de maior transmissão. O herpes dá sinais de seu surgimento com coceira e ardência no local onde surgirão as lesões. A seguir, formam-se pequenas bolhas agrupadas sobre área avermelhada e inchada. Quando as bolhas se rompem liberam um líquido repleto de vírus e formam-se crostas. Esta é a fase de maior perigo de transmissão. Todo o processo dura de 5 a 10 dias e não deixa cicatrizes. O herpes não é transmitido pelo sangue, esperma ou secreção vaginal. A transmissão ocorre apenas na existência e contato com as bolhas.

A transmissão do vírus do herpes labial ativo pode ser através da pele, saliva e utensílios. Ou seja, tanto pelo contato direto como beijo, ou indireto com o compartilhamento de objetos como copo, talheres, guardanapos, lençol, lâminas de barbear, travesseiros, batom etc. O sexo oral deve ser evitado durante a fase ativa do herpes.

Consequências: não deixa sequelas. Apenas o incômodo de ser uma doença sem cura e que após ser contaminado, costuma se manifestar por diversas vezes ao longo da vida mesmo sem contato sexual.

 

SÍFILIS (CANCRO DURO)
Sintomas: provoca lesões ulcerosas (cancros) na vulva, região dos lábios genitais e entrada da vagina. No homem, úlcera genital.  A ferida costuma surgir entre 10 a 90 dias após o contágio.

Consequências: tratamento com penicilina. Não tratada, passa da forma primária para a secundária, que atinge pele e mucosas. Pode causar lesão no sistema nervoso.

 

HEPATITE: vírus da hepatite tipo B e C
Sintomas: a maioria dos casos de hepatite B não apresenta sintomas. Mas, os mais frequentes são cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Esses sinais costumam aparecer de um a seis meses após a infecção. Como as hepatites são doenças silenciosas, consulte regularmente um médico e faça o teste.

Prevenção: evitar a doença é muito fácil. Basta tomar as três doses da vacina, usar camisinha em todas as relações sexuais e não compartilhar objetos de uso pessoal, como lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, material de manicure e pedicure, equipamentos para uso de drogas, confecção de tatuagem e colocação de piercings. O preservativo está disponível na rede pública de saúde. Caso não saiba onde retirar a camisinha, ligue para o Disque Saúde (136). 

Consequências: cirrose hepática e câncer de fígado.

 

PAPILOMAVÍRUS (HPV)  "Crista de Galo"
A principal forma de transmissão do vírus HPV é pela via sexual, que inclui contato oral-genital, genital-genital ou mesmo manual-genital. Assim sendo, o contágio com o HPV pode ocorrer mesmo na ausência de penetração vaginal ou anal.

Sintomas: inicialmente pode ocorrer sangramento irregular e perda de sangue após a relação sexual.  Surgem lesões em forma de verrugas genitais com aspecto semelhantes à crista de galo. Podem estar na vulva, pequenos e grandes lábios, vagina, colo uterino e uretra.

Em homens podem surgir no pênis (normalmente na glande), bolsa escrotal, região pubiana, perianal e ânus. Essas lesões também podem aparecer na boca e na garganta em ambos os sexos.

As infecções subclínicas (não visíveis ao olho nu) podem ser encontradas nos mesmos locais e não apresentam nenhum sintoma ou sinal. 
Consequências: dois subtipos desta doença, o subtipo 16 e subtipo 18, estão claramente relacionados com a gênese do câncer do colo do útero. No homem está relacionado ao câncer de pênis.

Prevençaõ: a vacina é principal forma de prevenção contra 4 tipos do HPV (6, 11, 16, 18). Essa imunização ajuda a prevenir o aparecimento do câncer do colo de útero, quarta maior causa de morte de mulheres por câncer no país.

Quem pode ser vacinado?
De acordo com o registro na ANVISA, a vacina quadrivalente é indicada para mulheres e homens entre 9 e 26 anos de idade e vacina bivalente é indicada para mulheres entre 10 e 25 anos de idade.

Novos estudos mostraram que as vacinas também são seguras para mulheres com mais de 26 anos e os fabricantes já iniciaram os procedimentos para que a ANVISA aprove seus produtos para faixas etárias mais avançadas. No momento as clínicas de vacinação ainda não estão autorizadas a aplicar as vacinas em faixas etárias superiores às estabelecidas pela ANVISA.

 

Previna-se contra as doenças sexualmente transmissíveis. USE PRESERVATIVOS. Diante de qualquer alteração é fundamental consultar o ginecologista/urologista para investigação e diagnóstico. O tratamento precoce é um importante fator de cura.

bem-vindo, sol

saiba como conseguir o bronzeado perfeito sem comprometer a sua saúde

imagem bem-vindo, sol

A estação mais esperada do ano, para quem deseja conquistar aquele tom de pele dourado, está se aproximando. Mas, atenção! Com as temperaturas elevadas, é preciso ficar de olho nos efeitos causados pela exposição excessiva ao sol. Essa importante atitude evita danos à saúde, além de prevenir manchas e retardar o envelhecimento precoce.

A dermatologista Joana Tebar Figueira, integrante da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que o filtro solar deve ser usado diariamente, independentemente da estação do ano e, mesmo quem não se expõe diretamente ao sol, precisa usar o produto. “Os raios UVA e UVB são os responsáveis pelos danos à pele.”

Proteção ideal

Os dias ensolarados tornam o uso do protetor ainda mais indispensável nesta época do ano, principalmente, para quem vai curtir piscina ou praia. Para adquirir o produto ideal, é fundamental levar em consideração as características da sua pele.

A especialista orienta que existe um protetor solar ideal para cada tipo e, caso não seja usado corretamente, pode resultar em oleosidade, vermelhidão, coceira e até acne. “Quem tem pele oleosa deve procurar os produtos de toque seco em forma de creme ou gel.” Os cremes são os mais indicados para quem apresenta peles secas, já que são hidratantes também, segundo Joana.

À flor da pele

Muitas pessoas acreditam que vão adquirir “aquele bronze” já no primeiro dia de praia e exageram no tempo exposto ao sol sem pensar nas consequências. Segundo a diretora da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Leandra Metsavaht, o horário de exposição solar deve ser respeitado para não oferecer riscos à saúde. “É importante evitar o sol das 10 às 15 horas e das 11 às 16 horas, quando há o horário de verão, período de maior incidência do UVB.” Ela explica que o sol é a maior fonte de emissão de raios ultravioletas, dentre eles, o tipo B, que é o mais cancerígeno. “Portanto, a exposição excessiva ao sol pode, sim, levar ao câncer de pele.”

A dermatologista completa que o bronzeado saudável deve ocorrer de forma gradual, para não prejudicar a pele. “A conquista da cor dourada também depende de fatores genéticos, como a produção de melanina de cada indivíduo.” Uma boa dica, garante a especialista, é manter uma dieta rica em betacaroteno, uma semana antes de viajar para a praia, pois ele é convertido em vitamina A pelo corpo e estimula a síntese de melanina.

Na face

Joana alerta para cuidados ainda maiores nessa área do rosto. “É necessário optar por um protetor diferente daquele usado no restante do corpo.” Não é indicado que o filtro solar corporal seja usado nessa região, exceto em peles normais. “Voltados para o rosto, esses produtos, além de proteger, contêm ativos que ajudam a prevenir o envelhecimento precoce, controlam a oleosidade e diminuem as manchas.”

Para quem procura por praticidade e não abre mão de uma pele uniforme, já existem os filtros de alta cobertura, tipo base facial. Além de excelentes aliados da maquiagem, evitam os danos causados pela luz visível emitida tanto pelo sol quanto pelas telas de computador, televisão e, até mesmo, lâmpadas fluorescentes. Essas, muitas vezes, são responsáveis pelo aparecimento de manchas e escurecimento de marcas da pele. “Os protetores, que apresentam cor, são mais eficazes porque, além de protegerem, corrigem algumas imperfeições”, comenta Joana.

Virou um “pimentão”?

No verão, há sempre quem se descuida e abusa do sol na busca pelo bronzeado perfeito. O resultado dessa imprudência? Queimaduras, geralmente, com muita ardência. Nesse caso, a dermatologista afirma que banhos frios de imersão trazem alívio. “Depois, use hidratantes sob a forma de loção ou gel nas áreas mais ressecadas, de preferência, com aloe vera ou azuleno, que são calmantes.” Outra opção é o uso de produtos com vitamina C, na face, pescoço e colo, elemento que combate a formação de radicais livres. A queimadura solar passa por vários estágios e pode persistir, causando bolhas, descamação e sensibilidade no local. “Hidrate a pele para evitar que as manchas se tornem permanentes.” Puxar a pontinha da pele, descascando, nunca é aconselhável! “Pode expor camadas profundas e prejudicá-las.”

sexo seguro e divertido

Preservativos para todos os gostos

imagem sexo seguro e divertido

O sexo, além de ser prazeroso, é tão importante quanto a saúde, trabalho, lazer e amor correspondido. É um componente fundamental da vida humana. Atenção apenas para que não ocorra uma gravidez indesejada e não se contraiam doenças sexualmente transmissíveis. De todos os anticoncepcionais, o preservativo, popularmente conhecido como “camisinha”, é o método mais eficaz, pois além de evitar a gravidez, atua como uma barreira contra essas doenças.

Relação sexual sem proteção pode transmitir desde bactérias que provocam corrimentos, até doenças mais sérias que, uma vez transmitidas e contraídas, vão te acompanhar pelo resto da vida. Citando só alguma delas: herpes, HPV, hepatites B e C, além da AIDS. O que muito pouca gente sabe é que o esperma, em alguns casos, é tão ou mais contagiante que o sangue. 

Nenhuma boa transa vale esse risco, não é?

E para quem acha que preservativo é sinônimo de tira prazer é bom saber: existem no mercado dezenas de opções para transformar este ato seguro e divertido ao mesmo tempo. Experimente cada um deles, que além de apimentar sua relação, vai aumentar ainda mais o seu prazer!

Quer uma experiência diferente? Conheça o preservativo texturizado

Com ranhuras ou pontinhos saltados, estimulam a parede vaginal aumentando o prazer. Na versão masculina, o relevo fica na parte interna do preservativo, despertando uma sensibilidade diferente e gostosa. 

Que tal um sexo pra lá de quente? Escolha a camisinha Fire & Ice

Ela aquece e esfria conforme os movimentos da penetração proporcionando uma explosão de sensações. 

Para o sexo oral, a boa pedida são as camisinhas aromatizadas

Prove a que tem o sabor que mais lhe agrade. Não faltam opções que vão desde o chocolate, morango, a refrescante menta e até caipirinha!

Luz, cama e ação: camisinha neon para iluminar só o que te interessa

 Apague as luzes e se divirta com o efeito fosforescente deste preservativo. Antes de colocá-lo, deixe por 30 segundos exposto à luz.

Para os apressadinhos, use o preservativo com efeito retardante

Feita com um gel a base de benzocaína, “acalma” o pênis, prolongando o tempo de ereção. As mulheres são beneficiadas por alcançarem o orgasmo no seu tempo e os homens por poder oferecer e se beneficiar de um prazer prolongado. Excelente para homens com ejaculação precoce.

Sensibilidade à flor da pele: extrafinos

Agora não tem mais desculpas para aqueles que ainda resistem em fazer sexo sem proteção. Com uma espessura mais fina, permite a sensação do toque do pênis com a vagina, garantindo o sexo seguro e anulando o efeito de fricção dos preservativos tradicionais.

Pânico de engravidar? Opte pela camisinha com proteção adicional

Alta proteção com agente espermicida. Neste tipo, caso o preservativo fure, existe um gel dentro dele que inibe a ação dos espermatozoides, diminuindo as chances de uma gravidez indesejada.  Perfeito para as mais encanadas.

Ajuda extra: camisinha lubrificada

Apresenta externamente um fluído adicional lubrificante, tornando o ato sexual mais prazeroso para as mulheres com dificuldade de lubrificação espontânea. 

Tamanho não é documento: prazer em todas as medidas

Tamanho só é importante na hora de escolher o preservativo. Camisinha maior que o pênis, facilita o vazamento do sêmen. Pequena demais, além de restringir o fluxo sanguíneo, propicia o rompimento. Além do padrão P, M e G, também existe no mercado tamanho de preservativos especiais, que atende desde adolescentes, até os mais bem dotados que a média.

Alérgicos não tem desculpas

O látex, material composto pelo preservativo, pode causar alergia em pessoas susceptíveis. Existe no mercado a opção látex free (sem látex), feitos à base de material sintético (em geral, poliisopreno ou poliuretano), diminuindo as chances de alergia.

Preservativo feminino

Não é tão seguro quanto à camisinha. A vantagem é que pode ser colocada até 8 horas antes da relação sexual. É macia e resistente, com uma espécie de dois anéis, um em cada ponta. O anel fechado fica do lado interno da vagina, e a parte aberta, na entrada da vagina para a penetração do pênis. É mais lubrificado que os preservativos masculinos.

USE DIREITO: CUIDADOS ESPECIAIS COM O PRESERVATIVO

  1. Observe a data de validade. Preservativos velhos tem maior risco de rasgar.
     
  2. Sol e calor podem danificar a camisinha. Evite deixá-la no bolso da calça ou no porta-luvas do carro.
     
  3. Se colocar o preservativo errado (do lado avesso), dispense esse e pegue um novo.
     
  4. Usar duas camisinhas ao mesmo tempo, além de desnecessário, pode provocar o rompimento pelo atrito de uma com a outra.
     
  5. Se for usar lubrificantes extras, use apenas à base de água.
     
  6. Para evitar vazamento e transmissão de doenças, retire a camisinha após ejacular.

Faça sexo seguro. Use preservativo!

os suplementos certos para turbinar seu treino e proteger sua saúde

imagem os suplementos certos para turbinar seu treino e proteger sua saúde

Se você se exercita, treina ou está envolvido com qualquer esporte é fundamental saber se seu organismo está recebendo as quantidades adequadas de nutrientes para exigir esse “mais além” do seu corpo. Diversos estudos mostram que a suplementação de multivitaminas melhora de forma importante a performance física e mental, além de te proteger de lesões e distúrbios no organismo. Segundo o expert no assunto, Dr. Wilson Rondó Jr., médico ortomolecular e nutrólogo, “a deficiência de vitaminas e minerais resulta em perda energética. Os suplementos otimizam a recuperação entre os treinos, melhoram o condicionamento físico, o crescimento muscular, ajudam a manter baixa a concentração de tecido gorduroso, além de proteger contra lesões do esporte.”

Dr. Rondó orienta como usá-los de forma balanceada, entre os dias de exercícios e de descanso. Também revela os mais importantes para te proporcionar um resultado positivo e de forma saudável. E se você faz a linha fitness precisa saber: “O real crescimento muscular ocorre nos dias de descanso quando o organismo usa o que lhe foi dado durante o exercício”, explica o médico.

Vitaminas e minerais: podem ser usados tanto nos dias de treino, como nos dias de repouso.

Aminoácidos: funcionam melhor quando usados nos dias de treino, antes de iniciar os exercícios.

AS PRINCIPAIS VITAMINAS E MINERAIS

Vitaminas do complexo B e magnésio: ativam as enzimas que controlam a absorção de proteínas, gorduras e carboidratos pelo organismo.

CoQ10 (ubiquinona): melhora a capacidade aeróbica, diminuindo o cansaço e ajudando na redução de massa gordurosa. É melhor absorvida quando associada à vitamina E ou a ácidos graxos essenciais (ômega 3 e 6).

Os ácidos graxos essenciais ômega 3 e ômega 6 também são importantes para promover melhor uso de energia, queima de gordura e crescimento de massa muscular. Existem exames de sangue que auxiliam o médico a detectar a dosagem correta desses ácidos graxos no organismo. O ideal é que a suplementação seja prescrita em uma quantidade adaptada ao seu organismo.  A relação padrão é 1 ômega 3, para cada 3 ômega 6.

Vitamina C (ácido ascórbico): quando usada durante a atividade física, aumenta a vitalidade e vigor.

Potássio (K+): eletrólito básico para regulação do pH e do nível de água no organismo. Atletas podem perder muito potássio pela transpiração necessitando de suplementação. Mas atenção: doses extremamente altas podem ser tóxicas para os rins e causar arritmias cardíacas.

Zinco (ZU++): exercícios intensos levam a um consumo aumentado desse mineral pelo organismo, com elevação da excreção urinária e diminuição na concentração sanguínea. Níveis baixos de zinco podem causar anormalidades hematológicas em mulheres que são corredoras.

Ferro (FE++ ou FE+++): é crucial para os atletas por transportar oxigênio às células musculares. Neste caso, também são as mulheres que costumam apresentar uma maior deficiência de ferro, o que pode reduzir a capacidade de resistência no exercício, causar dores musculares, cansaço, letargia, instabilidade e pouca concentração. É preciso suplementação caso a deficiência seja diagnosticada. Para aumentar a assimilação dos suplementos de ferro, deve-se ingeri-los durante uma refeição associados a vitamina C. A ingestão prolongada de ferro pode ser tóxica.

Cromo (CR+++): o exercício intenso é capaz de diminuir a produção desse mineral. É ele que regula a ação da insulina e participa do metabolismo dos alimentos, ativação enzimática e do controle do colesterol. O crômio picolinato ajuda na eliminação de gorduras e no ganho de massa muscular magra.

Do outro lado, o guru da boa forma, Flavio Settani, indica os suplementos fitness que podem melhorar sua performance sem prejudicar sua saúde ou elevar os ponteiros da balança.

Whey protein:  é o suplemento mais importante que existe. Extraído do soro do leite, fornece aminoácidos essenciais para a construção de massa muscular, melhora o tônus, a síntese de colágeno (firmeza da pele), além de contribuir para aceleração do metabolismo, o que ajuda a emagrecer. Se tiver que escolher um, é esse.

Barras de proteína: muito úteis como lanches intermediários, fáceis de levar e de comer. Mas repare se é mesmo uma barra de proteína, para não correr o risco de comer uma barra de cereal que só tem carboidratos.

BCAA: aminoácidos de cadeia ramificada, os principais responsáveis pela construção e recuperação muscular, além de adiar a fadiga em treinos de alta intensidade. Este suplemento é para quem treina sério. Use do meio para o fim do treino.

Carboidratos em pó, líquido ou gel: para 90% de vocês, esqueçam, sob o risco de engordar, inchar, além de ser muito mais gostoso comer um prato de massa. Só pense no assunto se você é um hard workout (treina todos os dias e pesado), ou se faz aeróbicos de longa duração (mais de 1 hora e meia na sequência).

A creatina é um suplemento que fornece extrato energético para uma fase muito específica do treino, aquela que vai, mais ou menos, de 10 a 12 segundos de contração. Isso significa que em treinos e provas como os 100 metros, os pontos disputados no Tênis, ou as explosões características das lutas, ela pode ser bem eficiente. Já para os treinos clássicos de musculação, nos quais as séries duram de 30 a 40 segundos, não faz muito sentido.

Termogênicos:  são produtos feitos à base de cafeína, sinefrina e outras substâncias que ativam ou aceleram o metabolismo, além de inibir o apetite.  Com dieta adequada e treinamento, os termogênicos ajudam em uma rápida perda de gordura corporal. O efeito termogênico se traduz em um aumento da temperatura corpórea que acaba por exigir mais do metabolismo. Consequentemente, promove uma perda maior de calorias das lipólises (gordura armazenada em algumas áreas do corpo) para se obter a energia. Útil para ajudar a emagrecer e dar mais pique (adrenalina) para treinar. Mas atenção: existem contraindicações para quem tem problemas cardíacos, hipertensão e pode afetar o sistema nervoso em pessoas predispostas, já que agem nesta área também. Além dos suplementos termogênicos, existem muitas substâncias que contêm essas propriedades, entre as mais importantes são: a pimenta vermelha, o café e o chá verde. É por isso que alguns consomem esses produtos antes ou durante o treino.

 

Mas não se iluda. Nada substitui uma boa alimentação. Os suplementos certos e quando utilizados com critério apenas aceleram o progresso e, lógico, também protegem sua saúde.  O importante é usá-los sem exagero. Consulte um nutrólogo para uma avaliação pessoal e melhor aproveitamento dessas substâncias. O segredo do sucesso está na dosagem certa.

SUPLEMENTAR É BENÉFICO

imagem SUPLEMENTAR É BENÉFICO

Rotina acelerada, muitos compromissos e tempo curto podem prejudicar a alimentação. Ciente desse quadro, o nutricionista e personal trainer Felipe Monnerat, do Hospital Universitário UFRJ, explica que não se pode negligenciar os suplementos, pois, em muitos casos, eles preenchem uma deficiência causada pela vida moderna. “Pensando nos micronutrientes (vitaminas e minerais) todos precisam atingir as recomendações (que podem variar) e isso exige uma alimentação complexa para os dias atuais. Mas, com os polivitamínicos, é possível evitar essas carências. Não que eles substituam o alimento, no entanto, podem complementar. Existe maior recomendação para idosos, fumantes, praticantes de exercício, alguns casos de gestação, cirurgia bariátrica, entre outros – sempre com supervisão de um nutrólogo ou nutricionista”, ressalta.

Vale destacar que, embora a suplementação tenha se tornado uma excelente aliada da saúde, seu uso não deve dispensar uma dieta saudável. A nutricionista Jamilla Saygli alerta que é essencial uma alimentação equilibrada, com a ingestão correta de verduras, legumes, proteínas e carboidratos. Até porque, segundo ela, “se a alimentação não for balanceada, o corpo terá mais dificuldade de absorver a suplementação. A comida precisa conter o mínimo de sal possível, ser colorida e sem gorduras”.

Alerta

De acordo com estudo encomendado por um grupo composto pela Abiad (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres), Abifisa (Associação Brasileira das Empresas do Setor Fitoterápico, Suplemento Alimentar e de Promoção da Saúde) e Abenutri (Associação Brasileira das Empresas de Produtos Nutricionais), dos 1.007 participantes maiores de 17 anos, 54% afirmam fazer uso de algum suplemento alimentar com objetivos estéticos ou de saúde.

Porém, dessa parcela, mais de 50% apontam ter uma alimentação saudável e/ou praticar algum tipo de atividade física. Porém, infelizmente, dados mais detalhados mostram pontos preocupantes – em média, mais jovens tendem a consultar educadores físicos ou colegas para colher informação sobre o uso desse tipo de produto, enquanto os mais velhos recorrem à profissionais de saúde. Além disso, apenas 25% dos que consomem por conta própria, informam aos seus respectivos médicos.

Terceira idade

Segundo Monnerat, a terceira idade mostra-se mais prudente quanto à suplementação. Ele reforça as vantagens dos suplementos nessa fase da vida. “Com o avanço da idade encontramos a dificuldade de suprir as necessidades nutricionais devido à perda de apetite e paladar ou dificuldade na absorção de alguns nutrientes. Isso pode levar a muitos fatores, como comprometer os ossos, a cicatrização, o metabolismo e o sistema nervoso”, completa.

A nutricionista Jamilla diz que algumas necessidades são mais comuns na terceira idade. Como, por exemplo:

  • Cálcio: tratando-se da terceira idade, é necessário ter atenção quanto ao cálcio, mineral essencial para a construção e manutenção dos ossos e dos dentes. É preciso manter uma alimentação rica no nutriente, não só do leite, mas verduras e outros alimentos, pois esse comportamento pode evitar a osteoporose (doença metabólica, sistêmica, que acomete todos os ossos, mais comum em mulheres). Vale destacar que o cálcio e a vitamina D trabalham associados, ou seja, um ajuda na absorção do outro. Além de caminhar para ajudar na absorção do cálcio, o ideal é também suplementar a vitamina D, que também costuma ser baixa na terceira idade, porque muitos tomam pouco sol e não ingerem a quantidade necessária de vitamina D.
     
  • Vitamina D: para pacientes da terceira idade, o ideal é suplementar, principalmente se já estiver com deficiência de vitamina D, necessária para a absorção do cálcio pelos ossos. Não adianta só tomar sol, assim como também só ingerir a vitamina, seu consumo tem que estar associado ao cálcio. Por exemplo, pessoas que têm osteoporose, não devem apenas ingerir cálcio, mas sim fazer caminhada, manter uma alimentação com fonte de cálcio e também estar com a vitamina dentro das recomendações necessárias. Pessoas com deficiência de vitamina D chegam a aproveitar 30% menos de cálcio proveniente da dieta.
     
  • Ferro: trata-se de um mineral presente em diversos alimentos e de extrema importância para o funcionamento do organismo dos seres humanos. Sua suplementação é importante, pois os idosos costumam ter anemia por carência da substância, alguns por ter alteração no paladar e deixar de aceitar determinados alimentos e outros por falta de condição financeira para manter uma alimentação colorida e equilibrada, levando, assim, à necessidade da suplementação.

Suplementação Orientada

Monnerat alerta que é imprescindível ter atenção na hora de suplementar, além de frisar a importância de buscar orientação médica. “Algumas vitaminas, se consumidas de maneira errada, podem causar intoxicação. Deve-se ter bastante atenção na hora de suplementar, assim como minerais que podem competir entre si pelo mesmo local de absorção como o cálcio e ferro . Outros suplementos proteicos podem sobrecarregar o sistema renal, provocar alterações gastrointestinais, vasculares e metabólicas, ou seja, sua utilização inadequada pode provocar alterações na pressão arterial, glicemia, retenção hídrica, constipação, entre outros fatores.”

picadas

Dicas para evitar as picadas dos mosquitos

imagem picadas

Nada mais desconfortável do que as picadas dos terríveis mosquitos.

Além de coçar, a área picada pode inchar. Algumas pessoas desenvolvem reações alérgicas. Outras, nem coceira sentem.

A picada de pernilongo, apesar de incômoda, é inofensiva. No caso do Aedes aegypti pode conter o vírus da Dengue, Zica, Chikungunya ou Febre Amarela, doenças debilitantes que podem até mesmo levar à morte. Se o mosquito estiver contaminado, os sintomas das doenças se manifestam entre 3 e 15 dias após a picada. O primeiro passo para a prevenção é eliminar os focos de água parada, local onde os ovos são depositados, se desenvolvem e nascem.

DIFERENÇAS ENTRE O PERNILONGO E O AEDES AEGYPTI

Pernilongos

  1. Não gostam de ambientes quentes e costumam se proteger dentro de casa. O horário preferido do ataque é ao entardecer e à noite.
     
  2. Apesar de barulhentos, são mais lentos: não é difícil capturá-los.
     
  3. Podem picar o corpo todo, mas preferem as partes mais finas, vascularizadas e quentes por serem mais fáceis de picar. Atormentam o sono, pois são atraídos pelo gás carbônico exalado na nossa respiração.
     
  4. O local preferido para a reprodução é a água suja, principalmente, com matéria orgânica.
     
  5. São de cor marrom e não possuem marcações no corpo ou patas.

Aedes aegypti

  1. São mais ativos de dia, principalmente, no início da manhã e no fim da tarde. Dificilmente picam a noite. Adoram os períodos de chuva quando conseguem se reproduzir.
     
  2. Ágeis, fogem rapidamente de qualquer movimento brusco.
     
  3. Costumam voar baixo e tem preferência pelos pés, tornozelos e pernas.
     
  4. A reprodução acontece em água limpa e parada.
     
  5. São pretos e possuem listras brancas no corpo, pernas e cabeça. 

Por que só sentimos o ataque após a picada?

Os mosquitos injetam várias enzimas em sua pele com funções anestésica e anticoagulante. Por isso o sangue não coagula e ele consegue sugá-lo. Sob o efeito do “anestésico”, você também não sente a picada. Porém, após alguns minutos, seu sistema imunológico desencadeia uma reação de defesa para combater a ação dessas enzimas.

Quando a pessoa é mais sensível a alergias, a histamina liberada pelo corpo se eleva na circulação sanguínea, deixando a pele vermelha, inchada e causando uma intensa coceira. Ela é de maior ou menor intensidade de acordo com a sensibilidade alérgica de cada um. O anti-histamínico e/ou pomadas específicas (com princípio ativo de cloridrato de isotipendil, por exemplo) ajudam aliviar a coceira.

Quantas vezes posso ser picado por um mesmo pernilongo?

Várias. Após a cópula, a fêmea necessita do seu sangue para o desenvolvimento e maturação dos ovos. Se você se movimentou durante a picada, ela pode não ter conseguido sugar todo o sangue que necessita e voltará a te picar. Mas se sentir-se satisfeita, se afastará até completar a digestão, que dura, em média, 45 minutos. O pernilongo-macho não pica. Ele se alimenta do açúcar presente no néctar e na seiva das plantas.

Para ficarmos livres das picadas do pernilongo, qual é o tempo que ele necessita para sugar nosso sangue e sentir-se satisfeito?

Ele precisa absorver em média, duas a três vezes do próprio peso em sangue para estar satisfeito. Isso demora cerca de 1 minuto e 30 segundos de “trabalho”, o que não significa que te isenta de tentativas em outros locais do seu corpo.

DICAS PARA EVITAR PICADAS E COCEIRA

  1. A temperatura ideal para a sobrevivência e bem-estar dos mosquitos varia de 26ºC a 28ºC. No clima muito quente, acima de 42º, eles morrem. E abaixo de 18ºC, hibernam. Uma boa dica é ligar o ar-condicionado! O vento também o espanta.
     
  2. Quando o pernilongo se aproxima, ele está sondando seu corpo na procura da região mais quente e onde há pele descoberta. Use roupas compridas e, se quiser se livrar das picadas nos pés, coloque meias.
     
  3. Os pernilongos se adaptam melhor no escuro. Locais com interferências de reflexos luminosos atrapalham sua visão. Ambientes mais escuros facilitam o ataque. Para enganá-los use roupas coloridas.
     
  4. Pessoas com pele clara também são mais facilmente identificadas na escuridão.
     
  5. Tentar espantar o pernilongo abanando a mão no escuro só o ajudará a te encontrar mais facilmente, pois como eles não conseguem focar uma imagem parada, o movimento ajuda a estimular sua visão como uma onda de infravermelho. Pelo olfato, também conseguem te localizar até 30 metros de distância.
     
  6. Quando você acende a luz, eles fogem e se fixam em um canto para reacomodar a visão. Se você conseguir matá-lo descobrirá se está suficientemente alimentado pela quantidade de sangue que ficar na parede. Não precisa usar força para abater um pernilongo. Uma leve palmadinha mata tal como uma chinelada.
     
  7. Ao picar ou ferroar, os insetos injetam veneno junto, que é o que causa a coceira e inchaço no local. Coçar a região pode fazer o veneno espalhar e aumentar ainda mais a coceira.
     
  8. Use repelentes e inseticidas. Observe as precauções e indicações de idade.
     
  9. Mantenha-se limpo. Mosquitos são atraídos pelo odor do corpo. Eles amam o cheiro de suor.
     
  10. Nunca deixe acumular água parada. É um ninho perfeito para criadouro do Aedes. Para eclosão do ovo e desenvolvimento do mosquito até sua forma adulta, demoram até 10 dias. Desta forma, indica-se a verificação de locais com água parada pelo menos uma vez na semana para interromper o ciclo de vida do mosquito.
     
  11. Épocas de chuva e calor aumentam a incidência dos mosquitos. Temperatura elevada, também acelera a transformação do ovo em mosquito adulto. Proteja-se em dobro neste período.

uma pitada de saúde

imagem uma pitada de saúde

A Organização Mundial de Saúde (OMS) indica que o consumo diário de sódio por dia não pode ultrapassar duas gramas, que na prática, equivale em média, a cinco gramas de sal. Por outro lado, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que o brasileiro consome o dobro da quantidade ideal, por volta de 12 gramas.
Com essa triste realidade, o Ministério da Saúde firmou um acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA) para a redução de até 68% de sódio em 16 grupos de alimentos industrializados, entre eles: embutidos, laticínios e refeições prontas. O objetivo é, até 2020, diminuir 28 mil toneladas de sódio dos produtos.

Saúde na corda bamba

O excesso de sódio pode acarretar diversos problemas como: envelhecimento precoce, redução do paladar, osteoporose, pedras nos rins e hipertensão. “Quando o consumo do cloreto de sódio vai além do que é recomendado, ocorre a retenção de líquido, aumentando assim a pressão arterial, isso porque, o organismo irá lutar para manter a distribuição de água pelo corpo. Esse mecanismo acarretará em um trabalho intenso do coração, que se esforçará para bombear o sangue por todo o organismo”, informa a nutricionista Roseli Ueno.
A profissional ainda cita que os rins também são prejudicados. Como a função dos órgãos é filtrar sangue, eles não conseguem retirar o acúmulo de sal do corpo. O fato também contribui para o aumento da pressão arterial.

Vilão mascarado

A regra número um que deve ser seguida pelos hipertensos é ficar longe do sal e, para isso, verificar a dosagem da substância nas embalagens é fundamental. O sódio está oculto em diversos alimentos que parecem acima de qualquer suspeita, no entanto, de inofensivos, eles não têm nada. A nutricionista cita alguns itens: macarrão instantâneo, embutidos (bacon, linguiça, salsicha), comida industrializada congelada (lasanha, nuggets, escondidinho), refrigerantes, salgadinhos, sopas, molhos e temperos prontos, azeitonas, enlatados e biscoitos.

Substituição do bem

Para consumir menos sódio, uma boa dica de especialistas é tirar o sal da mesa. O mineral também poderá ser utilizado em menor quantidade junto com temperos como: alho-poró, sálvia, manjericão, alecrim, salsinha, pimenta, coentro, louro, orégano e gengibre. Com uma festa para os paladares, o sal se tornará coadjuvante em meio a tantas delícias.

repelentes

O modo correto de usar os repelentes

imagem repelentes

Não importa se é dia ou noite. Se você está dentro ou fora de casa. Os terríveis mosquitos necessitam de sangue humano para alimentar e amadurecer seus ovos. Por isso, só as fêmeas picam. As duas espécies mais urbanas são o Culex (conhecido como pernilongo) e o Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya, Zica e Febre Amarela.

O pernilongo é mais agitado, já chega fazendo barulho. O Aedes aegypti, apesar de ágil, é discreto e silencioso. Também é mais perigoso por ser capaz de transmitir doenças. Independente das diferenças, ambos conseguem dividir o mesmo espaço a espera de sua presa: se escondem atrás de móveis, entre cortinas e embaixo de mesas. Por isso, em bares e restaurantes ao ar livre, é comum você ser picado nas pernas ou nos pés.

No mercado brasileiro, há cerca de 130 repelentes registrados na Anvisa, com quatro substâncias ativas: DEET (o mais antigo), EBAAP ou IR3535 (mais seguro para menores de 2 anos), Icaridin ou Picaridin (maior tempo de duração), ou óleo de plantas do gênero Cymbopogon (citronela). Esses compostos agem formando uma barreira com odor repulsivo aos insetos, ou repelem os mosquitos por interferir no funcionamento dos receptores sensoriais de suas antenas. O tempo de ação depende da concentração e do princípio ativo do repelente. Observe o modo de usar no rótulo da embalagem. Para uso tópico (na pele), são comercializados em forma de gel, creme, loção, spray e óleo.

Por que algumas pessoas são mais picadas do que outras?

Pesquisas indicam que os mosquitos sentem-se mais atraídos por corpos mais quentes e que liberam maior quantidade de dióxido de carbono (gás carbônico) e/ou ácido lático.

  • O ácido lático está presente no suor, portanto, exercícios ao ar livre, é um verdadeiro chamariz para os mosquitos.
     
  • Um metabolismo mais acelerado também produz e libera maior quantidade de ácido lático.
     
  • Pessoas de maior porte, da mesma forma, exalam maior quantidade de gás carbônico na respiração.
     
  • Mulheres grávidas costumam ser mais atacadas. Durante a gestação elas se tornam mais quentes e liberam mais dióxido de carbono (gás carbônico eliminado na respiração).
     
  • Se você não estiver usando repelente e estiver ao lado de alguém que o esteja, o alvo será você.

A MANEIRA CORRETA DE USAR O REPELENTE

  1. Não aplique repelentes em bebês com menos de seis meses de idade. Pode provocar toxidade e alergia na pele. Vista-os com roupas compridas e utilize telas e mosquiteiros para a prevenção de picadas.
     
  2. Dos seis meses aos dois anos, use com restrições. Verifique no rótulo as informações para a utilização correta, e certifique-se que o produto está indicado para a idade da criança. A ANVISA alerta que crianças menores de dois anos não devem usar repelentes contendo a substância ativa DEET.
     
  3. Acima de dois anos: não permita que crianças apliquem repelentes sozinhas. Evite a área do rosto. Utilize apenas nas áreas expostas do corpo. A concentração da substância ativa deve ser no máximo 10%. É fundamental a leitura do rótulo.
     
  4. Concentrações superiores a 10% da substância ativa, são permitidas para maiores de 12 anos.
     
  5. Ocorrendo picadas antes do término do tempo de ação prevista na embalagem, reaplique o repelente. A aplicação deve se restringir, no máximo, a três vezes por dia.
     
  6. Nas áreas expostas da pele, espalhe o repelente de forma homogênea. Não aplique nas mucosas (lábios, olhos e narinas) para evitar irritação. A ação costuma se irradiar para uma distância de até 4 centímetros, portanto, repelente aplicado na bochecha pode não proteger nariz e queixo. Lave as mãos após a aplicação.

    Atenção: o excesso de repelente pode causar irritação e alergias na pele.
     

  7. Lugares quentes e úmidos diminui a ação do repelente sendo necessária reaplicação.
     
  8. Na praia ou na piscina: passe primeiro o protetor solar e, após cerca de 20 minutos, aplique o repelente. Faça essa operação antes de sair de casa para evitar que o suor impeça a absorção do produto. Bloqueadores que contenham repelentes tem eficácia reduzida.
     
  9. Evite dormir com repelente no corpo. Utilize os de tomada. Mantenha-os perto de portas e janelas. Não durma próximo a ele: deve estar, no mínimo, a 2 metros de distância. No quarto das crianças, desligue o aparelho antes de dormirem. Também não é indicado na presença de pessoas asmáticas ou com alergias respiratórias.
     
  10. Em ambientes sem ventilação, opte pelos repelentes que emitem ondas de ultrassom ou eletromagnéticas. Talvez sejam necessários vários aparelhos para um resultado mais eficiente.

Contrário da picada do pernilongo que apenas causa incômodo ou alergia em pessoas susceptíveis, o Aedes aegypti pode causar doenças e até matar. Por isso, é importante ter consciência que a prevenção é o primeiro passo para sua proteção: comece eliminando recipientes e limpando locais que possam acumular água: são eles os maiores criadouros dos mosquitos. 

ANEMIA INFANTIL

imagem ANEMIA INFANTIL

A anemia ferropriva (por deficiência de ferro) causa prejuízos a curto e longo prazo na aprendizagem, no desenvolvimento neuropsicomotor e na resposta imunológica da criança. A pediatra Renata Mazzotti elenca dicas para ampliar as chances de prevenir e curar a doença:

  • Leite materno: amamentação exclusiva até o sexto mês de vida do bebê é vital. Toda e qualquer alteração no cardápio deve sempre ter a recomendação ou orientação do médico.
     
  • Crianças de seis meses a dois anos: é nessa fase, quando o desenvolvimento e o crescimento são acelerados, que o organismo necessita de uma quantidade de ferro maior, aumentando as chances de desenvolver a doença.
     
  • Alimentação: aumentando o consumo de carnes (bovina, peixes, aves), vísceras (fígado), gema de ovo e hortaliças (couve, brócolis, espinafre).
     
  • Alerta:os sinais e sintomas mais frequentes são: falta de apetite, palidez, apatia, tontura, redução da força muscular, fraqueza, cansaço e dificuldade para realizar atividades físicas. Em caso de dúvida, procurar o pediatra da criança é outra dica-chave. Caso a anemia se confirme no hemograma, é necessária a suplementação de ferro, por três a quatro meses, ou até a normalização dos exames laboratoriais. Fique atento!

Hora do suco

imagem Hora do suco

Quem opta por um modo de vida saudável busca melhorar a rotina alimentar e aproveitar ao máximo os nutrientes do que é consumido no dia a dia. O suco é uma bebida que pode ser um grande aliado na hora de proporcionar essa reposição nutricional. A nutricionista Ione Leandro ensina qual receita de suco é mais indicada para cada momento.

Antes da malhação, a sugestão é consumir limonada ou suco de melão com gengibre ou pimenta, que possui ação termogênica.

Já depois do treino, a mistura de pepino com água de coco é a opção indicada para hidratar e repor os nutrientes.

Para quem deseja controlar o apetite, a combinação de chá de erva-doce ou erva-cidreira com morangos, abacaxi e linhaça triturada estabilizada é ideal.

Cenoura, laranja e beterraba são ótimas opções para quem precisa eliminar toxinas do corpo e melhorar o funcionamento do intestino.

Sucos verdes também são recomendados para dietas de controle de peso. A mistura de couve, agrião, espinafre, maçã e kiwi, por exemplo, limpa o organismo, além de possuir nutrientes de baixa caloria.

Assuntos