logo extrafarma

A versão deste navegador nao é compatível com este site.
Por gentileza, atualize seu navegador aqui
Ou baixe uma das opções abaixo:
Google Chrome , Firefox.

Assuntos

Desodorantes para todas as horas

Descubra qual o ideal para o seu tipo de pele

imagem Desodorantes para todas as horas

O suor não é seu inimigo. Ele tem a função de regular a temperatura do corpo e eliminar as toxinas.  Nos dias quentes, durante um esforço excessivo ou em qualquer situação que provoque um aumente do metabolismo, é natural ocorrer à transpiração para resfriar o corpo. É uma defesa do organismo.  

As alterações hormonais da puberdade, gravidez e a menopausa também provocam o aumento da transpiração, nesse caso devido a uma queda nos níveis de estrogênio que interfere na manutenção da temperatura corporal.

Independente de tudo, algumas pessoas transpiram mais do que as outras e isso é absolutamente normal, já que o excesso de suor é uma questão multifatorial.  O maior problema é quando vem acompanhado daquele odor extremamente desagradável. Porque o suor em si, não tem cheiro. Ele é constituído basicamente por água, eletrólitos e proteína.

O que causa o mau cheiro são as bactérias presentes na pele que se multiplicam por usarem o suor como alimento. Além disso, a umidade provocada pelo suor acaba se tornando um ninho perfeito para essas bactérias sobreviverem.

Os desodorantes possuem substâncias antissépticas que matam as bactérias e impedem o mau cheiro. Quem tem excesso de suor, deve optar pelos antitranspirantes, que além de matar as bactérias, inibem a transpiração excessiva.  Quanto mais transpiração, mais chance de desenvolver o mau odor. Dessa forma, excesso de pelos, o uso de roupas que abafam e a má higiene, são fatores que podem favorecer o mau odor corporal. Quem transpira pouco, oferece menos alimento para as bactérias e, portanto, chances menores de produzir o mau odor.

COMO ESCOLHER O DESODORANTE IDEAL

Desodorantes: agem apenas contra o odor do suor inibindo as atividades das bactérias que causam o mau cheiro. Nem todo desodorante é antitranspirante, mas todos antitranspirantes atuam também como desodorante.

Antitranspirantes (antiperspirantes): formam uma barreira que bloqueia o ducto das glândulas sudoríparas diminuindo a produção do suor. São sinônimos e não apresentam diferença entre si. Indicado para homens e mulheres com suor excessivo. 

Hipoalergênicos: baixo poder de causar alergia, o que não significa que não cause alergia.

Esportistas: algumas marcas oferecem ação extra para o corpo em atividade. Ao contrário de outros desodorantes e antitranspirantes que podem evaporar ao longo do dia, nesta versão são acrescidas microcápsulas em sua fórmula que se rompem de acordo com seus movimentos. Proteção total durante a atividade física.

dor de ouvido

Evite a dor de ouvido

imagem dor de ouvido

A dor de ouvido costuma ser muito frequente em crianças, constituindo uma das maiores causas de consultas a pediatras e otorrinos. Nesta faixa etária, a tuba auditiva (que liga a orelha à garganta) é mais curta e horizontal do que a do adulto, o que contribui para o surgimento da otite. O que pouca gente sabe é que o simples ato de dar mamadeira ao bebê merece atenção especial. Na posição deitada, há uma grande tendência de introdução de líquidos para dentro da orelha, o que predispõe a inflamação caso o hábito não seja corrigido. Para evitar a otite, recline sempre à cabeça da criança para alimentá-la.

A dor de ouvido pode surgir também, junto ou imediatamente, após a dor de garganta, de dente, complicação de sinusite, ou uma infecção respiratória, como gripe ou resfriado, por exemplo. É provocada, nesse caso, pela congestão nasal que entope a tuba auditiva e leva ao acúmulo de secreções no ouvido. Essa secreção infecciona e inicia o processo da otite. Nos adultos, esse mecanismo também pode ocorrer, mas com menor frequência. Manter o nariz limpo é uma das providências contra a dor de ouvido.

Outra causa frequente é excesso de exposição à água. Com a prática de natação, a cera que protege o canal auditivo externo é eliminada, favorecendo o desenvolvimento de fungos e bactérias, micro-organismos desencadeadores da otite. Apesar de dores intensas, esses quadros cedem rapidamente com um tratamento clínico bem conduzido. Como medida preventiva, aconselha-se a utilização de tampões protetores que evita a penetração de grande quantidade de água. Pessoas alérgicas devem optar por tampões feitos à base de silicone incolor, pois o contato de corante ou acrílico com a pele do canal auditivo pode ocasionar reações alérgicas e piorar a situação, ao invés de proteger.

Da mesma forma, o uso abusivo de cotonetes pode comprometer a audição. A cera exerce atividade protetora importante para a pele do canal auditivo e, normalmente, os pelos presentes na parte externa do ouvido encarregam-se de eliminar o excesso. A limpeza deve ser feita com cuidado para evitar que ocorra o deslocamento de secreções para dentro do canal. Esse deslocamento, com frequência, causa compactação da cera e a formação de rolhas ceruminosas no interior do ouvido que provoca uma desagradável sensação de ouvido entupido, acompanhada por perda de audição e zumbido, situação que obriga a pessoa a procurar um especialista para desobstrução e limpeza adequada.

Em voos, a dor de ouvido é devido a brusca variação da pressão atmosférica. Para que a audição seja normal é necessário, que a pressão dentro do ouvido seja a mesma da pressão atmosférica. É assim que a membrana do tímpano consegue manter-se na posição normal e com a máxima capacidade para absorver o som do meio ambiente.

Quando a tuba auditiva não consegue equilibrar rapidamente as pressões, ocorre um deslocamento da membrana timpânica que pode provocar dor, diminuição da audição e sensação de ouvido entupido, especialmente se o indivíduo estiver resfriado e com o nariz congestionado. Pessoas com aumento da adenoide e portadores de sinusite têm chances ainda maiores de apresentarem distúrbios desse tipo durante os voos.

Para manter a pressão do ouvido e aliviar o mal-estar, algumas manobras podem ser colocadas em prática, como mascar chicletes durante a subida e descida do avião, engolir líquidos com o nariz tampado e limpar bem o nariz. A sensação de ouvido entupido, sem a presença de dor, costuma reverter em alguns minutos após a estabilização do avião no ar, ou minutos após o seu pouso. Caso não haja retorno à normalidade após 1 ou 2 horas, deve-se procurar orientação médica.

Outro fator que provoca dor de ouvido é a nevralgia desencadeada pela exposição ao frio. A nevralgia é consequência de uma disfunção do sistema sensitivo do ouvido, que provoca a intensificação da sensação pelo frio local, e o sistema nervoso central interpreta como sensação dolorosa. Apesar do incômodo da dor, esta situação é de ocorrência comum e não reflete gravidade. Também não tem relação com processos inflamatórios, infecciosos ou tumorais, ocorrendo apenas por uma perturbação do controle das informações dos sensores periféricos da dor.

Nesses casos, deve-se proteger as orelhas do frio com uso de gorro ou xale, podendo-se utilizar analgésicos via oral e calor seco local, como flanela aquecida no ferro elétrico ou bolsa de água quente envolta em toalha para o controle da dor.

Menos frequentemente, a dor de ouvido pode ser causada por distúrbios da articulação entre a mandíbula e o crânio (articulação temporomandibular ou ATM). Para os distúrbios da ATM é recomendado tratamento específico com odontologista, aliado ao emprego de analgésicos para alívio da dor.

COMO TRATAR A DOR DE OUVIDO

As otites são tratadas de modo específico, dependendo do agente causal (bactérias, fungos, vírus), com antibióticos, antifúngicos ou antiviricidas respectivamente, ou somente por via local dependendo da extensão de cada caso. A dor deve ser controlada com analgésicos via oral e, localmente, é recomendável apenas calor seco — bolsa de água quente envolta em pano seco e limpo ou pano seco aquecido no ferro de passar roupa. As gotas para ouvido que contêm anestésicos devem ser utilizadas apenas sob orientação médica. O tratamento é essencial já que existe o risco de inflamação com comprometimento progressivo da audição. Dependendo do tipo de otite, em até 80% dos casos, pode melhorar espontaneamente. Para o diagnóstico correto, consulte o médico. A prevenção é o seu maior aliado. Sua audição agradece.

MUITO ALÉM DA PROTEÇÃO

Conheça os diferentes tipos de preservativos e lubrificantes

imagem MUITO ALÉM DA PROTEÇÃO

Cores, tamanhos, espessuras, texturas e sabores. Opções não faltam na hora de comprar um preservativo. Com o avanço da tecnologia, além de garantir proteção contra as doenças sexualmente transmissíveis e até mesmo a ocorrência de uma gravidez indesejada, os fabricantes têm investido cada vez mais em produtos que prometem mais estímulo e prazer ao sexo seguro. Para te ajudar a escolher a melhor opção para você, listamos uma série de alternativas seguras e disponíveis no mercado. Confira

Tipos de preservativos

Além da tradicional camisinha feita de látex e dos preservativos com sabor e aroma, existem outras opções que favorecem a relação. Na maioria dos casos, o diâmetro médio e mais encontrado é de 52mm, mas há também os de 55mm e de 49mm.

  • Ice e Hot: causam uma sensação gelada ou quente conforme os movimentos durante a relação
     
  • Sensível: permite mais sensibilidade durante a relação, devido à sua espessura bem fina
     
  • Efeito retardante: ajuda a prolongar o tempo de ereção, retardando a ejaculação
     
  • Texturizada: com ondulações e relevos, oferece um estímulo mais acentuado
     
  • Antialérgica: feita de poliuretano, é indicada para quem possui restrições ao látex
     
  • Feminina: não deve ser usada ao mesmo tempo em que a masculina

Lubrificantes

Com fórmula à base de água ou silicone, o produto é um grande aliado nas relações sexuais, pois torna a penetração menos incômoda e mais tranquila, principalmente, quando não há lubrificação natural suficiente. E, assim como os preservativos, além do tradicional, existem as opções com sabor e aroma e os que causam uma sensação de frescor ou de aquecimento ao entrar em contato com a pele.

Importante!

Nunca se esqueça de conferir o selo do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), que garante a qualidade do produto, além da data de validade.

Respire Melhor

 Os nebulizadores são excelentes aliados contra o desconforto respiratório

imagem Respire Melhor

Poluição, baixa umidade do ar e mudanças climáticas revelam-se como os principais fatores que causam desconforto respiratório, tanto em crianças como em adultos. Para aliviar alguns sintomas em casos de gripes e resfriados, crises de tosse, bronquite e asma, especialistas indicam o aparelho de inalação, também conhecido como nebulizador.

Pequenos, práticos e portáteis, os inaladores de uso doméstico apresentam a vantagem de serem ministrados no conforto da sua própria casa. Eles possibilitam que o medicamento chegue até os pulmões de forma mais rápida e eficaz, por meio da inalação do vapor emitido pelo aparelho.

Em dias secos, para limpeza e hidratação das vias respiratórias, principalmente em bebês e crianças, recomenda-se o uso do soro fisiológico. Mas, se o caso revelar-se mais grave, o ideal é inalar medicamentos, como os broncodilatadores e os corticoides, sempre prescritos pelo médico.

Qual o melhor?

Existem dois tipos de inaladores: o convencional, por meio de ar comprimido, e o ultrassônico. A diferença entre ambos é basicamente a forma como transformam os remédios em vapor, pois o modo de uso faz-se praticamente o mesmo.

Porém, os ultrassônicos são silenciosos e, por isso, mais aceitos pelos pequenos. Além disso, permitem que a inalação seja feita até mesmo com a pessoa deitada. Eles criam uma névoa por meio de oscilações de um transdutor, que modifica energia elétrica em vibrações mecânicas, dissolvendo a solução utilizada em microgotículas transportadas através de um fluxo contínuo de ar.

Os modelos convencionais agem como bombas de ar, com ligação elétrica vinculada a um micronebulizador. Durante o processo de funcionamento da bomba, o ar percorre em alta velocidade pelos canais desse micronebulizador, fazendo com que o medicamento seja liberado através da névoa.
São um pouco barulhentos, fazendo o ruído de um compressor.

De acordo com a especialista em pneumologia pediátrica Isabella De Lalibera, o melhor inalador para ter em casa é aquele que pode ser usado com mais segurança, rapidez e para administrar diferentes tipos de medicação.
“O ultrassônico só permite realizar a inalação com soro fisiológico e broncodilatadores; já outras medicações, como corticoides, devem ser usadas pelos equipamentos de ar comprimido”, orienta.

Cuidados com o aparelho

Fazer a higiene adequada do aparelho torna-se o primeiro passo para evitar contaminações. O mau uso pode trazer riscos à saúde, permitindo com que fungos e bactérias acompanhem a medicação durante o uso e penetrem diretamente nos pulmões. Além de esterilizar corretamente, a médica orienta que o ideal é que cada um tenha o seu próprio nebulizador para evitar qualquer tipo de contaminação. “Fungos, vírus e bactérias podem ser transmitidos de uma pessoa para outra”, alerta.

De acordo com as normas do Ministério da Saúde, para limpar o aparelho, deve-se lavar as partes plásticas com água e sabão neutro e, em seguida, colocá-lo em uma bacia com 1 litro de água e 1 colher de água sanitária na concentração de 0,05%. “Deixe, nessa mistura, por 30 minutos, depois enxágue e seque bem. Caso sobre algum resíduo na mangueirinha, o compressor de ar pode ser ligado sem estar conectado ao nebulizador, a fim de que tudo seja eliminado”, ensina a médica.

Fique atento!

É de extrema importância utilizar apenas medicamentos que tenham sido prescritos por um médico, seguindo as recomendações de frequência e dosagem adequadas.

Na hora de comprar o aparelho, dê preferência aos que possuem máscara flexível, mangueira, controle de intensidade da névoa, que seja bivolt e tenha registro na Anvisa, além de certificado pelo Inmetro.

quer músculos definidos? coma proteínas

imagem quer músculos definidos? coma proteínas

Quantas vezes você já ouviu que gordura se transforma em músculo? 

Esqueça definitivamente este absurdo! Gordura e músculos são dois tecidos completamente diferentes. Para perder gordura, você precisa fazer dieta e exercícios, e para ganhar músculos você precisa fazer musculação e ter uma alimentação programada a base de proteínas. Só assim você conseguirá aumentar sua massa muscular e reduzir medidas. E para explicar este processo ninguém melhor do que o renomado personal trainer e life coach, Flávio Settanni, treinador das famosas que você vê na TV com aquele corpaço de dar inveja para qualquer um. Vamos ver o que ele diz?

PLÁSTICA ATRAVÉS DAS PROTEÍNAS

A grande maioria das pessoas consome uma quantidade muito pequena de um nutriente fundamental: as proteínas. Todos os tecidos que se renovam no corpo (pele, cabelo, unhas, músculos etc) são formados por proteínas. Isso quer dizer que se você ficar comendo só carboidrato e saladas, corre o risco de ficar um “falso magro”. Ou seja, mesmo comendo pouco, você vai continuar com índice de gordura no corpo, não terá músculos, além de ficar molenga. Por isso é fundamental que haja um consumo adequado de proteínas, para que esses tecidos se renovem com eficiência e qualidade. E não pense que são apenas os músculos que se beneficiam com a proteína. A pele, os cabelos, as unhas também vão ganhar uma aparência renovada que vai até parecer que você fez plástica.

A PRIMEIRA DICA: CONSUMA PROTEÍNAS NA QUANTIDADE CORRETA

A quantidade correta é de, aproximadamente, 1,5 g de proteína por quilo de peso corporal (ex: 60 kg = 90g de proteína ao dia, divididas em quatro ou cinco refeições), podendo variar de acordo com a intensidade das atividades físicas. As melhores fontes são as carnes magras (com pouca gordura), os queijos magros, as claras de ovos e os suplementos proteicos.

E quanto as frutas? Estão liberadas sem restrições?  

Frutas são carboidratos e, como tal, tem que ser consumidas de 3 a 5 porções por dia, dependendo se você está ou não fazendo uma dieta restritiva para emagrecer. Quantidades maiores inundarão seu corpo de açúcar (frutose) e fatalmente irão acabar acumuladas em forma de gordura.

SEGUNDA DICA IMPORTANTE: AUMENTE SEU METABOLISMO

Existem pessoas que mesmo comendo muito não engordam. São os famosos “magros de ruim”. Só que não é a maldade que explica isso, mas sim, a velocidade do metabolismo. A boa notícia é que se seu metabolismo é lento, existem alguns recursos que podem te ajudar a acelerar ele. Conheça algumas formas, com uma breve explicação:

  1. Aumentar a massa muscular: o aumento da massa muscular faz seu corpo trabalhar a seu favor, queimando energia até quando está parado.
     
  2. Água gelada: beber água a aproximadamente 7ºC, obriga o corpo a aquecê-la antes de absorver, e ele faz isso usando gordura como energia.
     
  3. Cafeína e outros termogênicos: aqui o efeito é inverso, essas substâncias aceleram um pouco os batimentos cardíacos, elevam a temperatura corporal em alguns décimos e o corpo tende a trabalhar para baixá-la. Como? Usando gordura como energia. Mas discutir esta possibilidade com seu médico é fundamental, já que existem contraindicações para quem tem problemas cardíacos, no sistema nervoso ou hipertensão.  O café, o chá verde e a pimenta vermelha são os três mais poderosos termogênicos naturais. Avalie melhor cada um deles.

Pimenta vermelha: capsaicina, um suplemento para perda de gordura

Capsaicina é o princípio ativo da pimenta que as torna quente. É uma irritante e/ou prazerosa sensação conhecida pelos seres humanos e animais, mais conhecida por sua sensação de queimação em qualquer tecido que toca. Capsaicina pura é incolor, inodoro e tem uma textura que é cristalina a cera. É o ingrediente ativo do spray de pimenta, o agente químico anti-motim. Na mesa do jantar, ela é usada para dar um pouco de “calor” aos alimentos, já na sala de musculação, no entanto, a capsaicina está sendo usada como um método de perda de gordura.

Recomenda-se o consumo frequente (3g por dia) para aumentar o metabolismo em até 20%. Pode ser encontrado em casa de suplementos, em farmácias de manipulação, ou caso consiga, consumi-la a como tempero.

Cafeína

A cafeína provavelmente é o ergogênico nutricional mais utilizado no mundo. Porém, temos sempre que considerar que cada indivíduo possui sua própria tolerância à cafeína. A cafeína estimula o centro inibidor do apetite no hipotálamo. Por esses dois efeitos, o de moderar o apetite e o de metabolizar gorduras mais rapidamente, ela pode ser utilizada em dietas de perda de peso.

A cafeína pode ser um grande aliado em seu programa nutricional/treinamento, mas deve ser cuidadosamente inserida no mesmo. O profissional de nutrição esportiva, em conjunto com o treinador definirão as melhores formas e momentos de uso (3-6mg/kg corporal). De preferencia utilizar a cafeína pela manhã e também antes da atividade física para maiores efeitos termogênicos.

Chá Verde

O chá verde contém grandes quantidades de antioxidantes e outras substâncias, que favorecem o gasto de energia pelo organismo, promove a aceleração do metabolismo, além da queima de gordura para transformá-la em energia.

A recomendação diária, nesse caso, varia de cinco xícaras a um litro, podendo ser utilizada antes da atividade física para maior disposição e também na metabolização da gordura corporal. Mas para obter os resultados de perda de peso, o consumo deve ser, no mínimo, por três meses seguidos. A temperatura do chá não interfere no resultado, podendo ser quente ou fria. Cuidado apenas para não ingeri-lo à noite caso sofra de insônia, porque são ricos em cafeína.

Portanto, se você não nasceu privilegiado em assuntos metabólicos, esses primeiros passos são ótimos para mudar isso.

ÚLTIMA CHAMADA PARA O FIM DA OBESIDADE E GANHO DE MÚSCULOS

Chegamos ao final das dicas para combater a obesidade e ganhar músculos! Vamos ao próximo tópico, que fecha nossa lista:

Programa de treinamento de musculação: por mais incrível que possa parecer, o “treinamento de musculação” é a grande estrela do programa de exercícios. Settani diz isso baseado no fato de que um trabalho bem feito nessa área é capaz de ajudar em diferentes aspectos, que cita a seguir:

  1. Aumento do tônus muscular: dá a sensação de que seu corpo está vivo debaixo da camada de gordura.
     
  2. Possibilidade de mexer todos os músculos do corpo com segurança e em aparelhos ergonomicamente ajustáveis para diversos biotipos e tamanhos.
     
  3. A aceleração do metabolismo causada pelo aumento da massa muscular.

Esse último item requer uma explicação mais detalhada. Quando fazemos qualquer tipo de exercício aeróbio, o corpo metaboliza uma mistura de carboidratos e gordura. Se o exercício for realizado corretamente, no máximo 40% da energia gasta será proveniente da gordura. Ou seja, você terá, no máximo, uma hora de exercício, com 40% das calorias perdidas vindas da gordura.

Já quando o aluno é submetido a um trabalho de musculação visando à recuperação da massa muscular e o aumento de tônus, a energia gasta durante o treinamento é proveniente quase toda dos carboidratos. Entretanto, o aumento da massa muscular causa a aceleração do metabolismo de repouso, pois é durante o repouso que o corpo realiza o processo anabólico de recuperação e construção do tecido muscular.

Já que em repouso o corpo usa na mistura uma quantidade maior de gordura (algo em torno de 75%), esse é o processo mais eficiente para ajudar na redução da taxa de gordura e, ao mesmo tempo, trazer os outros benefícios já citados.

IMPORTANTE SABER: o corpo só aumenta a massa muscular quando os músculos são submetidos a um esforço razoável. E é o professor quem terá de estabelecer esse nível de esforço e o equilíbrio ideal entre eficiência e segurança, levando em consideração a situação física e médica do aluno. Portanto:

1 – A perícia do professor é muito importante.

2 – Para que ocorra a recuperação dos músculos treinados, é indispensável a determinação de um programa alimentar que tenha entre1,5 e 1,8 gramas de proteína por quilo de massa magra (peso corporal sem a gordura) por dia (a possibilidade desse procedimento fica sujeita a análise conforme a situação médica do paciente).

Resumindo, aliando-se ciência, psicologia e determinação, podemos conseguir que a atividade física não apenas auxilie como coadjuvante, mas seja um elemento de vital importância para o sucesso do objetivo final.

depilação prática e rápida

imagem depilação prática e rápida

Se você está sem tempo e precisa livrar-se dos pelinhos do corpo de forma rápida, há duas alternativas com resultados satisfatórios. Conheça seus prós e contras:

• Lâmina: é ainda um método barato e rápido. Aplique condicionador e/ ou creme hidratante no local a ser depilado, para deixar os fios mais macios. Lembre-se: as lâminas com fita lubrificante e com molas na base mostram-se as mais indicadas;

• Creme depilatório: como dissolve facilmente a proteína que constitui o pelo, torna-se menos agressivo que depilações com cera, com a grande vantagem de ser indolor. Porém, é indicado realizar um teste alérgico antes de usá-lo. Atenção: evite aplicar em peles machucadas.

para a maquiagem durar mais tempo

imagem para a maquiagem durar mais tempo

Em dias quentes, fazer a maquiagem permanecer por mais tempo na pele, é um grande desafio. Felizmente, a tecnologia desses produtos evoluiu e trouxe muitas possibilidades para garantir essa beleza prolongada. Que tal conhecer alguns desses “truques”?

• 1º Passo: é imprescindível limpar e lavar o rosto antes de aplicar a maquiagem. Remover as impurezas com lenços demaquilantes, água fria e sabonetes específicos proporcionam uma limpeza necessária. Em seguida, hidrate o rosto com água termal, que é enriquecida com minerais e nutrem a pele;

• 2º Passo: investir no primer, antes de começar a produção, é essencial. Sua função é uniformizar a pele, deixando-a preparada para receber os produtos que vão te fazer ainda mais bela. Além disso, ele tem o papel de fazer sua maquiagem durar por mais tempo;

• 3º Passo: quem tem pele oleosa deve ter na bolsa alguns lencinhos matificantes. Eles removem qualquer excesso sem estragar sua maquiagem;

• 4º Passo: finalize o processo com sprays fixadores. Eles permitem que o resultado permaneça intacto por horas.

fim dos cabelos opacos

saiba como manter seus fios sedosos por mais tempo

imagem fim dos cabelos opacos

De longe, dá para notar quando um cabelo está sedoso e brilhante ou se ele sofre com a falta de cuidados. Quando negligenciamos as madeixas, elas sofrem o desgaste natural e tornam-se opacas. Uma série de fatores é responsável por esse resultado: sol forte, uso de tinturas e produtos com álcool, banhos excessivamente quentes, secador e chapinha.

Atento à melhora do tônus das fibras capilares, o mercado sempre lança produtos que prometem resgatar o brilho e a saúde dos fios, independentemente, de como se apresenta. Mas, para isso, é importante entender como devemos cuidar deles, para que o resultado seja positivo aos olhos e ao toque das mãos.

A profissional de beleza Fabiana Lourenço, cabeleireira especializada em cachos, conta que muitos detalhes devem ser observados para garantir um aspecto atraente às madeixas. “Fique atento à forma como seu cabelo é lavado”, comenta, revelando uma dica importante. Massageá-los bastante para que os resíduos saiam por completo promovem a ativação do seu brilho natural. “Evite soluções caseiras, pois elas podem comprometer a saúde e a beleza dos fios”, alerta.

Ainda mais bonito

Sele as pontas: as madeixas costumam sofrer com pontas duplas. Embora a maneira mais pontual de resolver esse problema seja o corte, atualmente, o mercado conta com produtos capazes de selar as bifurcações temporariamente, prolongando o uso das tesouras. A boa notícia é que eles são diferentes daqueles que tinham compostos oleosos para “maquiar” o efeito. Agora, eles trazem fórmulas high tech produzidas a partir de reconstrutores eficientes na recuperação da fibra danificada. Além de auxiliarem, ainda, no brilho e maleabilidade, reduzem o frizz. Bastam algumas gotinhas nas mãos e pronto!

• Lavagem cuidadosa e paciente: exagerar na dose do xampu é um dos erros mais comuns – seu excesso deixa o aspecto pesado e sem movimento. O ideal é diluir um pouco em quantidade equivalente de água e só depois aplicar a mistura nos fios. Assim, o xampu espalhará melhor e sairá mais facilmente. Outro truque é permanecer embaixo da água corrente por cerca de quatro minutos e só então iniciar a lavagem. Comece retirando o produto pelo comprimento até chegar ao topo da cabeça, evitando acumular resíduos na raiz.

• Atenção na hora de secar: quem busca um cabelo liso e sem frizz costuma fazer uso constante da escova. Entretanto, antes de secar o cabelo, é importante lançar mão de produtos que blindam o fio contra o calor, como leave-in e sprays com proteção térmica, por exemplo.

Loiro, o mais frágil

O hairstylist Adamor Santos esclarece que o cabelo loiro é o mais frágil, por atingir o seu grau máximo de descoloração. “Por conta da química, necessita de cuidados especiais.” Os fios muito claros são bem mais sensíveis do que os pretos, castanhos e ruivos. Há vários motivos que fazem com que os  cabelos loiros naturais e pintados mudem de tom, ficando opacos, esverdeados, acinzentados, amarelados ou alaranjados. “Mas, o principal deles é a oxidação, que ocorre nos pigmentos que compõem a cor dos fios”, ressalta o profissional. Dessa forma, quem conta com cabelos loiros ou mechas deve ter atenção redobrada. Afinal, o cabelo é a moldura do rosto!

+ Brilho e saúde no dia a dia

A cabeleireira Joyce Rocha, do Corsica Studio, explica como alguns produtos devem ser usados para deixar suas madeixas em destaque:

• Cuidado semanal: a cada lavagem, evite água em temperaturas elevadas. Também deve fazer parte da cartilha: hidratar o cabelo uma vez por semana e aplicar reparador de pontas antes de dormir. A ideia é manter os fios nutridos.

• Xampus, quais devo usar? Embora não haja consenso entre especialistas, sabe-se que, aqueles que contêm sal tendem a ser usados com mais eficiência em cabelos sem muita química. Enquanto os sem sal são mais indicados para cabelos com progressivas e reflexos.

• Aposte na touca térmica: ela potencializa a ação dos produtos no cabelo, pois ajuda a dilatar as cutículas para uma melhor penetração do produto.

• Ampolas funcionam? Sim. Elas proporcionam uma ação mais rápida do que as máscaras. Geralmente, têm efeito instantâneo ou após alguns minutos. Na hora da compra, vale lembrar que os componentes recomendados, principalmente, são: biotina, queratina, óleo de macadâmia, amêndoa e silicone. Isso porque os óleos nutrem, enquanto as queratinas fortalecem.

• Hidratação profunda: geralmente, deve ser realizada a cada 15 dias. Na maioria dos casos, no tratamento profundo, aplica-se uma queratina para fortalecer os fios. Já a manutenção, desse tratamento, deve contar com hidratação semanal, a fim de preservar o brilho e a maciez dos fios.

os suplementos certos para turbinar seu treino e proteger sua saúde

imagem os suplementos certos para turbinar seu treino e proteger sua saúde

Se você se exercita, treina ou está envolvido com qualquer esporte é fundamental saber se seu organismo está recebendo as quantidades adequadas de nutrientes para exigir esse “mais além” do seu corpo. Diversos estudos mostram que a suplementação de multivitaminas melhora de forma importante a performance física e mental, além de te proteger de lesões e distúrbios no organismo. Segundo o expert no assunto, Dr. Wilson Rondó Jr., médico ortomolecular e nutrólogo, “a deficiência de vitaminas e minerais resulta em perda energética. Os suplementos otimizam a recuperação entre os treinos, melhoram o condicionamento físico, o crescimento muscular, ajudam a manter baixa a concentração de tecido gorduroso, além de proteger contra lesões do esporte.”

Dr. Rondó orienta como usá-los de forma balanceada, entre os dias de exercícios e de descanso. Também revela os mais importantes para te proporcionar um resultado positivo e de forma saudável. E se você faz a linha fitness precisa saber: “O real crescimento muscular ocorre nos dias de descanso quando o organismo usa o que lhe foi dado durante o exercício”, explica o médico.

Vitaminas e minerais: podem ser usados tanto nos dias de treino, como nos dias de repouso.

Aminoácidos: funcionam melhor quando usados nos dias de treino, antes de iniciar os exercícios.

AS PRINCIPAIS VITAMINAS E MINERAIS

Vitaminas do complexo B e magnésio: ativam as enzimas que controlam a absorção de proteínas, gorduras e carboidratos pelo organismo.

CoQ10 (ubiquinona): melhora a capacidade aeróbica, diminuindo o cansaço e ajudando na redução de massa gordurosa. É melhor absorvida quando associada à vitamina E ou a ácidos graxos essenciais (ômega 3 e 6).

Os ácidos graxos essenciais ômega 3 e ômega 6 também são importantes para promover melhor uso de energia, queima de gordura e crescimento de massa muscular. Existem exames de sangue que auxiliam o médico a detectar a dosagem correta desses ácidos graxos no organismo. O ideal é que a suplementação seja prescrita em uma quantidade adaptada ao seu organismo.  A relação padrão é 1 ômega 3, para cada 3 ômega 6.

Vitamina C (ácido ascórbico): quando usada durante a atividade física, aumenta a vitalidade e vigor.

Potássio (K+): eletrólito básico para regulação do pH e do nível de água no organismo. Atletas podem perder muito potássio pela transpiração necessitando de suplementação. Mas atenção: doses extremamente altas podem ser tóxicas para os rins e causar arritmias cardíacas.

Zinco (ZU++): exercícios intensos levam a um consumo aumentado desse mineral pelo organismo, com elevação da excreção urinária e diminuição na concentração sanguínea. Níveis baixos de zinco podem causar anormalidades hematológicas em mulheres que são corredoras.

Ferro (FE++ ou FE+++): é crucial para os atletas por transportar oxigênio às células musculares. Neste caso, também são as mulheres que costumam apresentar uma maior deficiência de ferro, o que pode reduzir a capacidade de resistência no exercício, causar dores musculares, cansaço, letargia, instabilidade e pouca concentração. É preciso suplementação caso a deficiência seja diagnosticada. Para aumentar a assimilação dos suplementos de ferro, deve-se ingeri-los durante uma refeição associados a vitamina C. A ingestão prolongada de ferro pode ser tóxica.

Cromo (CR+++): o exercício intenso é capaz de diminuir a produção desse mineral. É ele que regula a ação da insulina e participa do metabolismo dos alimentos, ativação enzimática e do controle do colesterol. O crômio picolinato ajuda na eliminação de gorduras e no ganho de massa muscular magra.

Do outro lado, o guru da boa forma, Flavio Settani, indica os suplementos fitness que podem melhorar sua performance sem prejudicar sua saúde ou elevar os ponteiros da balança.

Whey protein:  é o suplemento mais importante que existe. Extraído do soro do leite, fornece aminoácidos essenciais para a construção de massa muscular, melhora o tônus, a síntese de colágeno (firmeza da pele), além de contribuir para aceleração do metabolismo, o que ajuda a emagrecer. Se tiver que escolher um, é esse.

Barras de proteína: muito úteis como lanches intermediários, fáceis de levar e de comer. Mas repare se é mesmo uma barra de proteína, para não correr o risco de comer uma barra de cereal que só tem carboidratos.

BCAA: aminoácidos de cadeia ramificada, os principais responsáveis pela construção e recuperação muscular, além de adiar a fadiga em treinos de alta intensidade. Este suplemento é para quem treina sério. Use do meio para o fim do treino.

Carboidratos em pó, líquido ou gel: para 90% de vocês, esqueçam, sob o risco de engordar, inchar, além de ser muito mais gostoso comer um prato de massa. Só pense no assunto se você é um hard workout (treina todos os dias e pesado), ou se faz aeróbicos de longa duração (mais de 1 hora e meia na sequência).

A creatina é um suplemento que fornece extrato energético para uma fase muito específica do treino, aquela que vai, mais ou menos, de 10 a 12 segundos de contração. Isso significa que em treinos e provas como os 100 metros, os pontos disputados no Tênis, ou as explosões características das lutas, ela pode ser bem eficiente. Já para os treinos clássicos de musculação, nos quais as séries duram de 30 a 40 segundos, não faz muito sentido.

Termogênicos:  são produtos feitos à base de cafeína, sinefrina e outras substâncias que ativam ou aceleram o metabolismo, além de inibir o apetite.  Com dieta adequada e treinamento, os termogênicos ajudam em uma rápida perda de gordura corporal. O efeito termogênico se traduz em um aumento da temperatura corpórea que acaba por exigir mais do metabolismo. Consequentemente, promove uma perda maior de calorias das lipólises (gordura armazenada em algumas áreas do corpo) para se obter a energia. Útil para ajudar a emagrecer e dar mais pique (adrenalina) para treinar. Mas atenção: existem contraindicações para quem tem problemas cardíacos, hipertensão e pode afetar o sistema nervoso em pessoas predispostas, já que agem nesta área também. Além dos suplementos termogênicos, existem muitas substâncias que contêm essas propriedades, entre as mais importantes são: a pimenta vermelha, o café e o chá verde. É por isso que alguns consomem esses produtos antes ou durante o treino.

 

Mas não se iluda. Nada substitui uma boa alimentação. Os suplementos certos e quando utilizados com critério apenas aceleram o progresso e, lógico, também protegem sua saúde.  O importante é usá-los sem exagero. Consulte um nutrólogo para uma avaliação pessoal e melhor aproveitamento dessas substâncias. O segredo do sucesso está na dosagem certa.

repelentes

O modo correto de usar os repelentes

imagem repelentes

Não importa se é dia ou noite. Se você está dentro ou fora de casa. Os terríveis mosquitos necessitam de sangue humano para alimentar e amadurecer seus ovos. Por isso, só as fêmeas picam. As duas espécies mais urbanas são o Culex (conhecido como pernilongo) e o Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya, Zica e Febre Amarela.

O pernilongo é mais agitado, já chega fazendo barulho. O Aedes aegypti, apesar de ágil, é discreto e silencioso. Também é mais perigoso por ser capaz de transmitir doenças. Independente das diferenças, ambos conseguem dividir o mesmo espaço a espera de sua presa: se escondem atrás de móveis, entre cortinas e embaixo de mesas. Por isso, em bares e restaurantes ao ar livre, é comum você ser picado nas pernas ou nos pés.

No mercado brasileiro, há cerca de 130 repelentes registrados na Anvisa, com quatro substâncias ativas: DEET (o mais antigo), EBAAP ou IR3535 (mais seguro para menores de 2 anos), Icaridin ou Picaridin (maior tempo de duração), ou óleo de plantas do gênero Cymbopogon (citronela). Esses compostos agem formando uma barreira com odor repulsivo aos insetos, ou repelem os mosquitos por interferir no funcionamento dos receptores sensoriais de suas antenas. O tempo de ação depende da concentração e do princípio ativo do repelente. Observe o modo de usar no rótulo da embalagem. Para uso tópico (na pele), são comercializados em forma de gel, creme, loção, spray e óleo.

Por que algumas pessoas são mais picadas do que outras?

Pesquisas indicam que os mosquitos sentem-se mais atraídos por corpos mais quentes e que liberam maior quantidade de dióxido de carbono (gás carbônico) e/ou ácido lático.

  • O ácido lático está presente no suor, portanto, exercícios ao ar livre, é um verdadeiro chamariz para os mosquitos.
     
  • Um metabolismo mais acelerado também produz e libera maior quantidade de ácido lático.
     
  • Pessoas de maior porte, da mesma forma, exalam maior quantidade de gás carbônico na respiração.
     
  • Mulheres grávidas costumam ser mais atacadas. Durante a gestação elas se tornam mais quentes e liberam mais dióxido de carbono (gás carbônico eliminado na respiração).
     
  • Se você não estiver usando repelente e estiver ao lado de alguém que o esteja, o alvo será você.

A MANEIRA CORRETA DE USAR O REPELENTE

  1. Não aplique repelentes em bebês com menos de seis meses de idade. Pode provocar toxidade e alergia na pele. Vista-os com roupas compridas e utilize telas e mosquiteiros para a prevenção de picadas.
     
  2. Dos seis meses aos dois anos, use com restrições. Verifique no rótulo as informações para a utilização correta, e certifique-se que o produto está indicado para a idade da criança. A ANVISA alerta que crianças menores de dois anos não devem usar repelentes contendo a substância ativa DEET.
     
  3. Acima de dois anos: não permita que crianças apliquem repelentes sozinhas. Evite a área do rosto. Utilize apenas nas áreas expostas do corpo. A concentração da substância ativa deve ser no máximo 10%. É fundamental a leitura do rótulo.
     
  4. Concentrações superiores a 10% da substância ativa, são permitidas para maiores de 12 anos.
     
  5. Ocorrendo picadas antes do término do tempo de ação prevista na embalagem, reaplique o repelente. A aplicação deve se restringir, no máximo, a três vezes por dia.
     
  6. Nas áreas expostas da pele, espalhe o repelente de forma homogênea. Não aplique nas mucosas (lábios, olhos e narinas) para evitar irritação. A ação costuma se irradiar para uma distância de até 4 centímetros, portanto, repelente aplicado na bochecha pode não proteger nariz e queixo. Lave as mãos após a aplicação.

    Atenção: o excesso de repelente pode causar irritação e alergias na pele.
     

  7. Lugares quentes e úmidos diminui a ação do repelente sendo necessária reaplicação.
     
  8. Na praia ou na piscina: passe primeiro o protetor solar e, após cerca de 20 minutos, aplique o repelente. Faça essa operação antes de sair de casa para evitar que o suor impeça a absorção do produto. Bloqueadores que contenham repelentes tem eficácia reduzida.
     
  9. Evite dormir com repelente no corpo. Utilize os de tomada. Mantenha-os perto de portas e janelas. Não durma próximo a ele: deve estar, no mínimo, a 2 metros de distância. No quarto das crianças, desligue o aparelho antes de dormirem. Também não é indicado na presença de pessoas asmáticas ou com alergias respiratórias.
     
  10. Em ambientes sem ventilação, opte pelos repelentes que emitem ondas de ultrassom ou eletromagnéticas. Talvez sejam necessários vários aparelhos para um resultado mais eficiente.

Contrário da picada do pernilongo que apenas causa incômodo ou alergia em pessoas susceptíveis, o Aedes aegypti pode causar doenças e até matar. Por isso, é importante ter consciência que a prevenção é o primeiro passo para sua proteção: comece eliminando recipientes e limpando locais que possam acumular água: são eles os maiores criadouros dos mosquitos. 

Assuntos